5 de fev de 2012

Amores de Verdade

Amores de verdade doem quando terminam. Deixam a gente com raiva de um dia ter amado. Fazem chorar lágrimas demais. Querer sair, encher a cara. Amores de verdade quando terminam ficam entalados no peito, e as palavras que saem, são certeiras como balas de fuzil; são pensadas e ditas para criarem estragos, fazerem o que nossas mãos não se permitem fazer, são para machucar, pisar, fazer com que o outro sofra tanto, mais tanto, como se só assim toda a nossa dor fosse se esvair...

Mas, ela não termina, e continua latejada por dias, meses, até mesmo anos, e tem gente, que carrega essa dor no peito pelo resto da vida... É uma ferida que não cicatriza e que costuma reabrir em momentos de reencontros ocasionais ou propositais. Onde a gente tenta, mas na maioria das vezes, decide por se humilhar, implorando respostas que nunca virão. Não, não existe outra, ou se existe, não é por ela que te deixou, mas por que o amor, até mesmo os de verdade, um dia acabam...

Mas a gente não quer, e continua alimentando esse amor, comprando as coisas que o outro gosta, ouvindo a música que foi deles, até mesmo a casa continua sendo como antes de não ser...

E mesmo quando a ferida cicatriza, tem muitos que ainda insistem em retirar a casca, até fazê-la sangrar novamente. Por que amores de verdade quando terminam, deixam a gente com um gosto acre na boca, um gris escuro no olhar e um vazio na alma, que a gente tenta preencher com outros copos, outras bocas, outros corpos... até acordar com o som do nosso desespero, numa madrugada qualquer, insone, olhando para as paredes do quarto e descobrindo que está só. Numa solidão tão escura e densa, que ninguém, absolutamente ninguém será capaz de resgatar.

E nessa hora, só nos resta duas escolhas, amanhecer ou seguir noite adentro, envolta na escuridão daqueles que perdem seus amores de verdade. E por mais que pareça a mais fácil para aqueles que nos cercam, amanhecer é a escolha mais difícil.

post republicado

5 comentários:

Sandra Peres disse...

Lindo, acho que estou passando por isso, um grande amor parece que acabou, não conseguimos nos afastar e nem nos entender, aos poucos parece que a ficha está caindo e como dói!!!

Vc traduziu tudo o que passa na minha cabeça nesses dias.


Beijão

Dani disse...

oi! vim conhecer seu blog e te convidar pra participar do sorteio no meu blog ficarei muito feliz comsua participação
bjinhossssss!!!!!!!!!!!!!

alan disse...

bem convincente mais isto duto quem criou foi nos mesmo isto que chamamos de amor no passado era apenas instinto de sobrevivência hoje pra quase totalidade da sociedade a vida e muito boa temos tudo nas maos mais nossa ciência esta ferrada.nao existi mais um eu na humanidade haje a uma sociedade amonturada sobre o poder do sistema. e nao vemos mais isto nos nao temos mais pensamento próprio....

Cissa Branco disse...

Patrícia,

Saudade de vir aqui. Perfeito o texto, exatamente isso. Grandes beijos e ótima semana

Suzi disse...

Passei por isso há três meses! Término. Choro. Frustração. Tristeza. Amargura. Decepção!
...
Ainda não me conformo. Tenho ainda sentimentos. Mas, não procuro mais. Quero que esse amor se vá.
...
Porém, restou sintomas. E muitos.
...
Tento de todas as formas sair dessa, mas 'amanhecer' propriamente, não está sendo tão fácil assim!

Obs: Adorei sua forma de escrever... Simplista e totalmente objetiva. Coisa que ultimamente não estou sendo!

Beijos