24 de mai de 2016

A Confissão do Golpe - Nós, os Invisíveis

Ando pensando em voltar aos estudos. Talvez jornalismo, talvez voltar a Psicologia. Certeza é o meu TCC - a invisibilidade do povo brasileiro - e quando falo povo, falo de todo mundo, incluindo ai, os CBfs, os vermelhinhos, os coloridos, os multicoloridos etc Ontem, tive a certeza dessa nossa invisibilidade, não importa o quanto gritemos, o quanto de abaixo-assinado com milhares de assinaturas (vide o de Cunha, que tem mais de 1 milhão), quantos votos demos nas eleições (vide Dilma com 54 milhões) - essa elite política que está ai não nós enxerga. Não liga para o que pensamos, pela nossa falta de educação, não se importa com nosso choro nas portas dos hospitais, sequer para nossas lágrimas quando enterramos nossos filhos, assassinados, por bandidos, sejam eles, policiais ou bandidos mesmos. Para essa elite, só existimos em dois momentos: em vésperas das eleições e quando vamos as ruas e os ajudamos a consolidar um GOLPE de Estado, como o confessado ontem. Sim, embora eu nunca tenha ido a rua de CBF, não vou me retirar disso, pois somos todos Brasileiros. E essa divisão, é exatamente o que nós enfraquece. Não posso apontar o dedo para mais de um milhão de pessoas e dizer: - você é golpista! - ainda acredito que muitos ali, realmente lutaram pelo fim da corrupção e não tem culpa, talvez um pouco de falta de ler nas entrelinhas, da mídia massificar que a origem da corrupção é do PT. 

Na boa, a gente começou a ser corrupto quando Portugal chegou aqui e negociou com algumas tribos uma meia dúzia de espelhos, para eles entregarem as outras (é rolou isso, mas a história não conta, ou só conta quando a gente se atreve a ler nas entrelinhas). E com isso, não quero isentar o PT, mas quero que a gente enxergue que tem muito mais nesse mar, tem PMDB (vide confissão de Jucá ontem), tem PSDB, tem PP, DEM e praticamente TODOS os partidos tem uma ovelha corrupta para chamar de sua. 

Mas, voltemos para nossa invisibilidade. Ontem, aconteceu o MAIOR escândalo da nossa Pátria. Pela primeira vez, um GOLPE de ESTADO, foi assumido, explicado e dado nome aos bois de quem o orquestrou. E, em qualquer pais do mundo, o povo já estaria nas ruas, mas nós gritamos, e a gritaria que fizemos ontem, deveria teria respaldo. Ah, mais foi uma gritaria virtual, diriam alguns, não importa! 
Ontem o povo gritou e como resposta tivemos: 
1) Um cala boca do Ministro Jucá - que pediu licença do cargo; 
2) Uma mídia que tentou minimizar o que tinha acabado de ser dito; 
3) Um Judiciário que acusado de participar do GOLPE, até agora não emitiu um único pio. Ditado que diz:"quem cala consente, diz tudo nesse caso) 
4) Um Usurpador que em nota, lamentou, não o ocorrido e a confissão dos golpistas, mas a saída deste do governo, inclusive, dizendo que ele ainda vai ajudar muito. 

E com tudo isso, o dia amanhece e NADA muda. O usurpador não saiu pedindo desculpas a população, o STF continua mudo e a mídia está mais preocupada se o interino continuará o seu papel de entreguista do nosso país ao estrangeiro. No final, somos mesmos invisíveis. 

Vejo manifestações na França, onde o povo vai às ruas por muito menos, e enfrenta políticos e polícia. Vejo Grécia, Espanha, Egito, Venezuela, Argentina e seus povos guerreiros, por muito menos, enfrentar essa elite e se fazer visível a ferro e fogo. 

E a lição que tiro de tudo isso, é que só deixaremos de ser invisíveis, quando nos enxergarmos, quando entendermos que somos NÓS que pagamos e elegemos essa elite e como PATRÕES que somos, devemos exigir respeito, seja ao nosso VOTO, seja aos nossos DIREITOS! 

Ir às ruas, em massa, todos juntos! Você pode não gostar da Dilma, você pode não gostar do PT, mas 54 milhões votaram nela e deixar que meia dúzia de ladrões a retirem do poder, para evitar uma investigação contra a corrupção é o Absurdo, dos Absurdos! Bote a cabeça no lugar, engole um pouquinho seu ódio, e pense, hoje foi ela, amanhã pode ser seu candidato. 

Ontem, o que ficou claro para o Brasil, é que não estamos seguros. A Democracia é uma figura de retórica, na boca desses que nos querem invisíveis!

28 de abr de 2016

Os Últimos Dias da Democracia

Ao ler que os Senadores exigiram que se retirassem das atas a palavra "GOLPE" proferida pelo Nobel da Paz, argentino Adolfo Pérez Esquivel, no seu pronunciamento hoje no plenário do Senado, fico pensando como uma palavra tem tanto poder. 

 Assim, como os que implantaram a Ditadura em 1964 se recusavam a falar que aquilo era um Golpe Militar, preferiam referir ao ato como Revolução de 1964. Foram necessários mais de 30 anos para que se assumisse que tinha sido um GOLPE sim. 

Mas, afinal, o que é um golpe e porque incomoda tanto essa palavra? Ao pé da letra, GOLPE é um ataque. Ataque a algo ou alguém. Depor uma presidente sem crime de responsabilidade - só para resumir, mais de 1500 juristas internacionais, foram claros em expor que pedaladas fiscais não são consideradas crimes de responsabilidades. Voltando então. Depor uma presidente sem crime de responsabilidade é um GOLPE sim. 

Um ATAQUE a aquilo que é mais sagrado, nossa DEMOCRACIA! E, por saberem-se golpistas é preciso que esta palavra seja retirada de atas, de imprensa, que não chegue ao povo. Pena, caros Senadores e Deputados, que já chegou. 

O povo sabe que o que se arma a cada dia, é um GOLPE - sim, vocês entrarão na história como GOLPISTAS. Que atacaram a Democracia. 

E a coisa é tão descaradamente triste, que ainda estamos discutindo o tema no Senado, e o vice já escolhe a céu aberto, seu ministério. Já apresenta aos jornais, seu projeto de governo. Deixando claro que essa discussão no Senado é apenas uma encenação para constar. Que as moscas todas, já estão em polvorosa, só aguardando sua cota de merda que lhes será destinada. 

Triste fim de um país. Triste fim de uma nação. 

E enquanto isso, os batedores de panela se calam, alguns felizes, pois seu objetivo era apenas tirar o PT do poder e as poucas conquistas sociais que o povo mais pobre teve acesso. Outros, sem entender o que está acontecendo. 

Sobre a corrupção? Acabou, meu bem, ou você acha mesmo que Cunha, Aécio, Calheiros, Temer e tantos outros vão se entregar? Ah, sim, o golpe final será a prisão de Lula, pelo sítio e triplex, mesmo sem provas. Enquanto as contas no Exterior, as empresas offshore, as propinas de milhares de dólares, os apartamentos em Paris, isso tudo, vai para baixo do tapete. 

Meu único consolo, é que a História, não costuma ser seletiva nas suas consequências, no final, seremos todos os perdedores

1 de mar de 2016

Felicidade é uma Questão de Ser

Nessa sociedade de propaganda de margarina, a felicidade se expõe como algo que se escolhe. Mesmo que para isso, se edite a vida, cortando, jogando fora da visão, tudo aquilo que interfira na sua escolha, mesmo que "isso" sejam pessoas reais.

Não se percebe que a felicidade é diferente, diria Shinyashiki que ela está em todos os momentos que vivemos, bons ou maus, Gosto da definição de Marcelo Jêneci: Felicidade é uma questão de SER.

De ser HUMANO.suficiente para enxergar que mesmo no que doí, fede, incomoda, podemos encontrar pontos que nos fazem bem. E aquilo que nos faz bem, nos faz feliz.

Mas, como saber disso, se os olhos insistem em enxergar somente arco-íris fictícios  e ignorar que só após a tempestade pode-se ver a miríades de cores que um arco-íris real nos proporciona. 

Como a "moda" é ser feliz a qualquer custo e em todo tempo, resta a quem não é,  recolher a sua dor no bolso e sair de fininho, Quem sabe, tenha a sorte de encontrar alguém que consiga enxergar além da sua própria necessidade de ser feliz. Porque enxergar a dor do outro, um belo exercício de empatia, também pode nos fazer muito mais feliz.