8 de dez de 2010

Sobre Aniversários e Reveillons

Já repararam como reveillon e aniversários são datas irmãs? As duas envolvem bebidas e momento de renovação. É batata, vai chegando perto de uma dessas datas e começamos a repensar hábitos e prometer mudanças. A tal da dieta, emprego novo, amores novos, vida nova, em suma, resolvemos achar que ontem é uma merda e o futuro, uma folha em branco, prestes a ser preenchida. Poético, mas nada funcional.

Não dá para levar a sério nada do que a gente pense ou prometa nessas datas, tem que levar em conta o emocional, que nessa ocasião, está totalmente descontrolado. Saca TPM? Pois é, é como se estivéssemos com ela, todo o mês que antecedesse o aniversário e a passagem de ano. E não dá para esquecer o fator álcool. Afinal, dependendo do seu grau de socialização, você começa a comemorar o aniversário/reveillon no primeiro dia do mês anterior.

Mas, essas datas não tem só o fator “Hoje eu vou mudar, vasculhar minhas gavetas...” (By Vanusa), em comum, elas também trazem inserido o fator mico. A única vantagem do reveillon, é que pelo menos o mico é coletivo. Pular sete ondas, comer sete uvas e guardar as sementes (não confundir com azeitonas, como o caso de um amigo, que confundiu a supertição e foi parar no hospital, engasgado! Quando o médico terminou a contagem, a esposa estourou a champagne, o problema é que não era os segundos que o doutor contou, mas a quantidade de azeitonas com as quais o cidadão estava entalado!)

Alias, nesse quesito mico, acho que aniversários são os verdadeiros campeões, pensa bem, você junta um monte de gente, em torno de um bolo, que sua dieta, não lhe permite comer, para oficializar que você está ficando cada vez mais velho! É ou não é nonsense? E tem àquelas pessoas que acham divertido te tacar farinha, ovo... juntando açúcar e leite, pelo menos economiza no bolo.

E, é claro, tem as festas surpresas. O que ninguém entende é que, se você não organizou uma festa, significa, que você não quer uma festa. Para algumas pessoas, é inadmissível que você não queira comemorar aniversário. Essas são os Organizadores. Pessoas comuns que nessas datas surtam e começam a agir como máquinas festivas.

O mais interessante das festas surpresas, é que parentes e amigos fingem te ignorar o dia inteiro, para de repente, pularem na sua frente e desejarem tudo de bom. Vê que ridículo, o cara te fez sentir um nada o dia inteiro, para subitamente te abraçar e começar a dizer: “Você é meu amigo de fé, meu irmão camarada...” (by Roberto e Erasmo Carlos) como já disse, nonsense total...

E tem pior, o cidadão que é esquecido na sua festa surpresa. Os organizadores se preocupam tanto em convidar todos os amigos e parentes do aniversariante, que esquecem de avisar o mesmo.

O cidadão ta lá, vidro de calmante na mão, mamado do uiskie, acabando de cometer o ato derradeiro, depois de um dia terrível, onde as pessoas mais importantes o ignoraram completamente, eis que toca o telefone:
- Fulano, cadê você?
- Eu... estou morrendo
- Morrendo cara? Num podi! A festa ta bombando. Ta todo mundo aqui.
- Festa? – suspira o fulano, a voz embargada de álcool e barbitúricos. – que festa?
- Como que festa? – se admira o Ciclano – a sua festa surpresa!
- Vocês fizeram uma festa para mim? – é a última coisa que ele fala, antes de tombar sobre o telefone.
O Ciclano, percebendo o silêncio do outro lado da linha. Grita para um dos organizadores:
- Ai, pode cortar o bolo, que acho que o Fulano não vem não!

4 comentários:

Matheus Farizatto disse...

Talvez a melhor forma de passar por isso seja através da fusão entre aniversário e reveillon: para mim, dias 27 e 31 de dezembro.

Sem planos, sem mudanças e só Deus sabe sobre festas surpresas...

beijos, PATTY!

Matheus

Aline Monteiro disse...

Ei, Patricia!
Minha mãe sempre disse que odiava aniversário. Aí, um dia eu e meus irmãos resolvemos comprar um bolo especial pra ela, e fazer uma microfestinha (só a gente) de noite. Passamos o dia sem falar de aniversário com ela, aproveitando que ela dizia não gostar. Lá pro meio-dia, ela começou a chorar escandalosamente dizendo que todo mundo tinha esquecido dela e tal. Exatamente o que se espera de quem diz que odeia aniversário. Enfim, foi uma vez pra nunca mais. Ela tb aprontou uma com presentes uma vez, por isso eu nunca mais dei presente de aniversário pra ela.
Adorei o texto.
Bjo!

danee disse...

Nunca tinha pensado por esse lado! hahah
eu não gosto de comemorar aniversário não, não entendo porque tanta empolgação pra isso. eu ri da histórinha da festa surpresa.

calma que estou com pressa disse...

oi Patricia-
ai esta é a pura verdade -
ninguem consegue entender a pessoa que simplesmente nao vibra com tudo isto- não proclama aos quatro ventos, não organiza festa de arromba..
eu sou aquela - ser estranho que prefere que paguem uma pasagem aerea para um litoral qualquer e olhar o mar , as estrelas, comer uma pizza com as pessoas que realmente ficaram contigo o ano inteiro - e não o faz de conta -
e festinha surpesa é o óoo
então somos duas que detestamos -
adorei teu texto e ainda com ironia no fim - demais
bj
lu