3 de fev de 2010

Ressaca Moral ou Ode aos Hipócritas!

Tem muitas coisas que me fazem sentir vergonha do ser humano, a violência, a corrupção, etc e ontem, eu senti vergonha do twitter e de uma parte da net que assiste BBB.

É um jogo. A pessoa entra lá, mostra o que veio, sai derrotada ou campeã dependendo da sua trajetória na casa.

Mas, o que fez Tessália para ser tão odiada aqui fora? Como todos nós, a Tess tem um pouco de anjo e de demônio. No mais, é uma menina normal, que talvez se ache esperta demais e que não seja tudo isso. Alias, achei a Tess meio burrinha no jogo. Entrou sem querer entrar, foi convidada, e acho que esse foi seu maior defeito, sempre se sentiu como visita. Não entrou para valer. Em dez edições você já sabe bem sobre erros que não deve cometer, e ela, cometeu todos!

Em um diálogo entre ela e Michel sobre o que fazer com 1 milhão e meio, a gargalhada dos dois, deixa claro, que para Tess, ela nunca cogitou em ser a vencedora. Queria apenas estar ali, como quem assiste tudo de dentro.

Sabe, cego em tiroteio? Era assim que enxerguei a Tess no inicio do programa, o Michel veio servir de guia, o cara que lhe dá segurança para continuar. E, é por isso que gostei dela. Por que pela primeira vez me vi dentro de um BBB.

Sabe, eu sou meio esnobe, beiro a arrogância quando sinto que não sou muito bem aceita num ambiente, sou tímida então uso do sarcasmo e da ironia para me proteger. Igualzinho a Tess. Ah, e gosto de sexo e acho, como ela, que é melhor fazer do que ficar expondo intimidades aos quatro ventos, tenho um filho de quatro anos, no qual, quase não falaria se estivesse no jogo, por que nunca iria querer expô-lo ou usá-lo dentro de um programa que disseca a todos que são citados ali.

Alias, a frase com a qual a Tess me ganhou, foi exatamente sobre a filha, quando inquirida por Michel, por que quase não falava sobre ela. " Eu estou no BBB, minha filha, não. E não vou trazê-la aqui para dentro."

Dentre os muitos personagens da casa, ela e a Lena eram o diferente nesse programa. Todos ali trazem vícios e resquícios de outras edições e seguem formulas já conhecidas.

As duas não, agem quase por instinto, meio suicida às vezes, mas essa é o frescor que elas trazem, um jogo longe daqueles feitos anteriormente. Mulheres de carne e osso, que embora no jogo, não perderam a essência do que elas são aqui fora.

Uma pena que a maioria ainda goste dos estereótipos anteriores e rejeite o novo que surge na forma dessas duas mulheres.

Mas, pior do que a saída de Tess, foi o como essa saída se deu. Ocultos atrás dos seus monitores, covardes anônimos promoveram um massacre! Nunca em toda minha vida, assisti tanta truculência em 140 caracteres. Ofensas, ameaças, agressões que resvalaram inclusive para a filha dela de quatro anos! Como assim?! Sei lá, ontem fiquei enojada. E pela primeira vez senti que não estou mais com muita vontade de assistir essa edição. Era para ser divertido, e ontem, ontem me deixou um travo amargo...

Nenhum comentário: