5 de jan de 2015

Dia 05 - Escutando

A gente escuta tão pouco. Ando pensando nisso direto, depois de ouvir toda uma história de uma amiga antiga e tão querida e me surpreender. Como assim? Você nunca me contou isso antes! E a amiga não compreender meu espanto, claro que já tinha me contado àquela história; Não só uma, mas pelo menos umas duas vezes. Foi quando caiu a ficha: Eu andava ouvindo muito, mas escutando muito pouco. 

Escutar é diferente de ouvir. Penso eu. Escutar não é só ouvido. É enxergar o gestual, olhar no olho e perceber aquilo que não é dito. A voz que oscila, o olhar que treme, as mãos que se seguram uma na outra ao contar que está tudo bem, diz muito mais do que o que foi dito. Basta escutar.

Quantas vezes escutamos? A gente acorda, lê as redes sociais, é soterrado por mensagens de bons dias e pensamentos positivos. Mas o que aquilo esconde? Quantas lágrimas se ocultam atrás de gifs que dizem "eu sou feliz". Quantas vezes, nós mesmos nos ocultamos em palavras vazias, apenas desejando que alguém nos escute e não apenas. nos ouça;

Seguimos em frente, caminhando o caminho de sempre, repetindo frases que parecem ritualísticas: para a amiga que perdeu um amor: "Ele não te merece, você vai encontrar alguém melhor". Para aquele que perdeu um ente querido: "Muita força e luz pra você." Para os que estão doentes, outro conjunto de caracteres; ritualísticos, mas vazios. Por que você não está ali de verdade. Seus problemas, suas dores, sua rotina, tudo isso cria um muro que oculta o outro de nossas vistas e sem enxergar além de nosso próprio umbigo, é impossível criar laços.

Empatia. Para escutar é preciso empatia. Colocar-se no lugar do outro. Por alguns segundos, desconstruir o muro do ego e perceber que além de si, existe mais. Alguém igualzinho a você. E que nesse momento, FALA. Talvez não o que ele queira dizer, ou o que precise, mas se você escutar, tenho certeza que vai ouvir exatamente o que está sendo dito. 

Um comentário:

Renata disse...

Oi Patrícia!

É verdade, muita vezes mal ouvimos as pessoas, quiçá escutamos...aqui em casa mesmo eu admito: fale de novo pois eu ouvi, mas não escutei. Tipo ouvi, mas não registrei.
E olha que me considero boa ouvinte, pelo menos as amigas, as pessoas acham. Tento escutar sem julgar, e dar conselhos só se pedirem. Mas engraçado é que a recíproca não é verdadeira, me abro pouco; não tenho quem me escute...mas já acostumei.
Espero que já esteja tudo bem com você. Que Deuss te abençoe!

beijos, Renata
palpitandoemtudo