3 de out de 2012

A Flor da Pele

Tudo começa num sobressalto. De repente, os corpos já estão colados um no outro. O movimento é suave, porém contínuo, vez em quando, fica mais rápido e brusco. O ar fica mais denso a cada minuto, o calor emana da pele e umedece sobre lábios e  frontes. 

A cada segundo ficamos mais juntos, nossas peles se colam, sinto meu corpo tocado em lugares que desconhecia existir. Nós gememos e sussurramos, o movimento dos corpos ficando mais frenético a cada momento, até que...

As portas se abrem e finalmente saltamos, chegou a nossa estação.

(Em homenagem ao metro do Rio na hora do rush)


7 comentários:

Sandra Peres disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA Não poderia ter imaginado nada diferente!!! Muito Boa!!!

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Adorei seu senso de humor!!!

Marcelo Daltro disse...

Sensacional, e mais feliz ainda que voltou a escrever! Beijos te amo!

Lúcia Soares disse...

Pelo convite de "pornô" imaginei que jamais seria...rsrs
Muito bom, você é ótima, Patrícia.
Beijo!

Luciane disse...

KKKK! Mto bom! Não esperei que fosse o sufoco dos trens. rs.

Um espaço pra chamar de meu disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Serve pros trens da Supervia tbém!!! Ramal de Belford Roxo, entao!!! Adorei!!!

Um espaço pra chamar de meu disse...

Ah! 50 Tons de Cinza pra que??kkkkkkkkkk