31 de ago de 2011

A Arte de Não Saber Ter


É preciso tempo. Tempo para pensar, tempo para fazer, pelo menos a metade do que é preciso. Tempo para ser mãe, esposa, dona de casa, artesã, escritora, boa vizinha, internauta e mais tantas coisas que gostaria de ser. Tempo para viver. Tempo para descansar. Tempo para sonhar, tempo para brigar, tempo para arrumar, caixas, passados, casas, tudo e ao mesmo tempo, nada.

Tempo para ficar deitado na grama, olhar fixo nas nuvens, vendo desenhos e formas. Tempo para olhar a chuva que escorre no vidro da janela. Tempo para admirar a paisagem enquadrada na janela da condução.

Tempo para sentir. Tempo para permitir. Se permitir. Tempo para rolar no tapete e pular numa perna só ao som do ritmo infantil. Tempo para dançar com o filho. Tempo para beijar. Beijos ardentes ou selinhos inocentes, mas é preciso ter tempo!

Tempo para criar. Escritas, artes, modelos e cores. Tempo para inventar. Jogos, fantasias, histórias, pratos e costuras. Tempo para abraçar. Tempo para tocar. Rosto, cabelos, mãos, corpos.

Tempo para se desnudar. Preconceitos, roupas, baixa-estima. Alma. Tempo para não precisar de nada. E ansiar por tudo. Tempo para falar. Palavras, silêncios, olhares.

Tempo para agradecer. Aos amigos, aos parentes. Aos que chegam, aos que partem. Aos que de te desejam boas manhãs e aos que não te desejam nada. Tempo para sorrisos. Tempo para as lágrimas.

É preciso ter tempo. E essa, é a arte que ainda não aprendi ter.

6 comentários:

Andreia Lica disse...

Tempo eu tbm gostaria de ter mais, mas pensando bem, se tivesse mais tempo, será que conseguiria aproveitar mais ou me sobrecarregaria? Ó dúvida...

Bjão

just me disse...

Que bom que você teve tempo para se expressar de forma tão poética e sensível...

Adriana Balreira disse...

Tempo também para vim aqui e degustar seu blog que é tão bom e tempo para comentar e dar os parabéns! Tempo para refletir sobre esse texto, eu bem que quero e preciso de tempo!
Beijos
Adriana

Celina Dutra disse...

Também estou aprendendo. Excelente texto.

Girassóis nos seus dias.
Beijos

Dona Amélia disse...

SE conseguir aprender, me ensina?

Xêros e saudades!
Paty

Vanessa disse...

Patricia, me li no seu texto. Isso é que é bom. :-)