14 de ago de 2010

Pequenos Amores

por Patricia Daltro

Viagem de volta. Excursão de colégio. Posso sentar ao seu lado? Claro. Olhar grudado na cadeira da frente. Amigos. Troca de confidências. Segura sua mão. Carinho com a ponta dos dedos. Repete o gesto. Olhar na paisagem. Sente o movimento suave percorrendo a palma de sua mão. Abre mais. 

Um calor gostoso. Fim de verão. O sol se pondo. Falam, palavras soltas, fingem não perceber o que acontece com os dedos. Silenciosos, percorrem a curva do antebraço. Arrepio. Ajeita-se na cadeira. Ele também. Entrelaçam-se os dedos. A outra mão que chega. Acaricia. Lentamente os dedos se soltam. A mão firme. Maior que a dela. Sente-se engolfada. Protegida. Quiromante. Sua linha da vida é longa. A sua interrompe-se aqui. Será que vou morrer cedo? Sua linha do amor tem um monte de ramificações. Acho que vou ser um canalha. Riem. Melodia engolida pela bagunça dos outros alunos. Quer bala? Quero. Soltam-se as mãos. Frio. Arrepio na espinha. Pega a bala. Olhar na paisagem. Vai lá pra frente? Acho que vou brincar um pouco com o pessoal. Tá. 

Cara de quem não liga. A mão sozinha ali. Segura com a outra. Cruza os braços, finge dormir. Posso? Ué, já voltou? Tá chato. Me dá sua mão. Como? Sua mão. Braço cruzado - hesita. Olha no olho. Estende o braço. Acolhida. Sua mão é bem maior que a minha. É. A sua é pequena. Dedos de boneca. Como? Seus dedos... parecem daquelas bonecas. Tá. Cruzam os dedos, descruzam. Ele percorre caminhos. Ela treme. A viagem acaba, cada um para o seu lado. Você me liga? Ligo. Amigos(?)... Ela ainda pensa, vendo-o partir.

8 comentários:

Fernanda Reali disse...

Gostei, romântico-triste, bem do jeitinho que pega o coração da gente de jeito.

bjs

Telma Maciel disse...

Concordo com a Fê... Menina, já passei por algo parecido, sabia? Nossa... me fez viajar naquela época, viu? ai, ai, ai... rs

Jana disse...

Hummmmmmmmmmmmmmmmmm...
faltou ainda o final feliz.....

Mas AMEI....
Beijos

Elis (Coisas de Lily) disse...

Esse é um dos meus favoritos.
Sem final feliz. Bem real.
bjs!

Mauro Castro disse...

Quiromante! nunca tinha pensado nisso.
Há braços!!

analice disse...

a historia do jeito que ela foi ...e muitas vezes é.

bem real, inserindo uma verdade dos fatos...bom...

.Intense. disse...

E que saudade de qdo amar era tão simples.

Giuliana: disse...

Lindo e real, tão real que deixa uma sensação agridoce no coração..=D

Beijos.