18 de jul de 2011

E o My Reality Continua:

Devido a baixa audiência, o diretor continuo achando que é uma diretora numa eterna TPM, resolveu dar uma sacudida (quase perder a casa e o marido perder o emprego) não deram emoção suficiente. Dai, acho que querendo me ver chorando escorrendo pelas paredes, que nem protagonista de dramalhão mexicano de 5ª, sábado recebi a notificação da prefeitura do Rio de que a Feira da Rua General Glicério, em Laranjeiras, seria extinta.

Pausa para explicar a importância da feira na minha vida e na de centenas de ambulantes e artesãos que lá expõem: Essa feira existe há mais de 40 anos, num misto de feira comum com feira cultural - lá, todos os sábados, de 9 às 15 horas temos chorinho, barracas que vendem um pouco de tudo, desde artesanato, até utilidades para a casa. As crianças também não são esquecidas, já que temos oficinas musicais e de circo. 

É um espaço democrático, festivo e que movimenta, inclusive o comércio local, já que além dos moradores, outras pessoas, oriundas de todas as partes, inclusive de outros estados e países, frequentam a feira. Que também é ponto turístico da cidade.

Para muitos que trabalham ali, a feira é a única fonte de renda. Para mim, desde o desemprego do marido,  o artesanato é a única fonte de renda, por mais que venda na internet e para algumas lojas, a Feira da Gal.Glicério é de suma importância! Atualmente, 70% da minha renda, vem dela.

Fechando a pausa e agora que todos estão inteirados da necessidade da Feira na minha vida e na dos demais  feirantes, posso voltar a programação normal.

Mas, uma coisa que aprendi nesses anos de Realitys é que a gente não pode deixar a peteca cair. E sábado, assim que soube da notificação, baixou a revolucionária em mim e lá fui eu subir em degrau e junto com mais alguns outros revolucionários, fazer discurso, chamar reunião e lutar pelos nossos direitos.

Hoje (segunda-feira) conseguimos nos reunir com a Responsável pela 4ª Região Administrativa do RJ, sra. Leila do Flamengo e a feira, a princípio, se mantém. Pelo menos até o próximo sábado, onde iremos começar um processo de organização e pedido para que a prefeitura do Rio reconheça essa feira, como um evento semanal, de caráter cultural e turístico. 

No mais, é isso, My Reality continua e cada vez mais animado, pelo menos, para os que vivem suas 24 horas. 

10 comentários:

Fernanda Reali disse...

O Rio é uma bagunça, tem ambulante empentenlhando em lugares inxeplicáveis, espaços vazios entregue a gangues de trombadinhas etc. Aí, a prefeitura NÃO VÊ isso como um problema e nada faz, mas vê a Feira da General Glicério como um problema...

Como assim? Uma feira divertida, cheia de coisas gostosas, bom pra passear,ocupando a rua com arte e música, tem que fechar. Esvaziar o espaço com pessoas de bem e deixá-lo vazio, perfeito para os delinquentes.

Incoerente, incompreensível.

beijoooo, boa sorte

Vanessa disse...

Patrícia, é impressionante como tem fases na vida da gente em que tudo parece estar andando pra trás. A coisa boa de tudo isso é que tudo que vem , vai embora e isso logo deve passar. Tem alguma coisa que os frequentadores possam fazer? Podemos encher a caixa postal deles pedindo pela manutenção da feira.

beijos

Portal Pattys disse...

Oieeeee
Adorei o blog, gostei do post.
Estou te seguindo, blog novo, venha conhecer?
by: Veve Pink
http://portal-pattys.blogspot.com

Mara disse...

Essa é a Patrícia que eu gosto!
Vai lá, companheira!
Boa sorte!
beijo

Dona Amélia disse...

Algumas coisaas são bem como a Fer falou: incoerentes e incompreensíveis. Até mesmo a tua luta diária, onde em vez de um mata 5 leões por dia!
Te admiro pela força, mana, mais ainda por conseguir resistir à vontade de jogar td pro ar!

Mega xêros
Paty




PS: E a bolsa, acha q dará p sair? ;oP

Jana disse...

Espero que dê tudo certo e vcs consigam resolver essas pendências.... "governo" e fogo viu....

bjs

Bibia Bueno disse...

Poxa, boa sorte. Aqui em SP tem uma feira com chorinho que eu vou há uns 15 anos. Ficaria chadiadissima se acabasse. :(((

Irene Moreira disse...

Tem momentos na vida que nada dá certo e tudo acontece. Tenho fé que vão consegui a permanência da feira e se precisar de abaixo assinado estou aqui de caneta na mão para colocar a minha e de tantos que puder.

Beijos no seu coração

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

tb ando numa fase "reality em prova de resistência" que tá bravo! comigo as coisas vão bem, mas em família...afff... e gera tb toda uma falta de $$$, tempo, paciência, etc.

imagino como deve ser esta feira. e enxergo nela o lado cultural, que movimenta a economia, traz gente pro baixo, é divertida e peculiar.

o que o pessoal invocou com a feira? é pq rende menos propina que camelô? com certeza há um motivo bem egoísta por parte do pessoal da administrativa pra querer acabar com algo interessante.

poxa, todo lugar no mundo considera uma feira dessas patrimônio cultural local. como o pessoal que cuida da administração é obtuso, é triste isso.

boa sorte Patrícia! que o reality acabe com um bom prêmio pra vc e família

Ana Paula Santiago (inventandocasa.blogspot.com) disse...

Espero, sinceramente , ue a feira se mantenha. Patrícia, ´e difícil te dizer algo em meio a uma crise financeira assim, nem sei o que dizer.