21 de out de 2010

Persona Veruska: Procura-se Marido

ilustração Marcelo Daltro


Oi gentem, meu nome é Veruska. Assim mesmo, com essa escrita estranha. Mas, pois é, eu estou aqui hoje por que preciso confessar uma coisa, eu preciso casar. Não, não é preciso, como casualidade, mas é um preeeeeciiiiiiiso casar messsmo, saca, necessidade física? Pois é esse é meu caso. Tenho 35 anos, já namorei mais vezes do que gostaria e menos do que precisava, mas casar, casar, entrar na igreja de véu e grinalda, música brega ao fundo e todo mundo moooorrendo de inveja de você? Pois é, isso ainda não consegui e preciso muuuuuuitoooo!

Gentem, vocês não estão entendendo, eu ovulo quando vejo um vestido de noiva. Salivo igual ao cão de Pavlov ao ver uma grinalda; em casamentos de conhecidos, choro baldes de pura inveja, querendo estar no lugar da fdp que está lá no altar.

E saca, eu já fiz de tudo, tudo messssmo para casar. E quando digo de tudo, pode escrever o que estou dizendo, vai de terreiro de macumba até afogar santo Antônio em um copo de cachaça, e nada, nadica de nada, tudo que consigo é um encosto que dura de três dias a uma semana no máximo.

Já me falaram que sou muito ansiosa. Que entre o "oi" e o "meu nome é" já estou perguntando o tamanho do dedo, para ver se a aliança cabe, mas o que tem de mais? É só curiosidade. Ah, se eu comprei as alianças? Pois é, eu comprei alianças... Ô God! E o vestido de noiva também, mas é justificável, era um vestido liiiiindo e estava com um preço ótemo, vai que acabasse? Melhor prevenir, não é? Bem, eu também já reservei a capela, tem uns dois anos que remarco a data, mas sabe como é, é melhor garantir, não é?

Mas então, eu já tenho tudo organizado, só me falta o noivo! Para isso, tenho freqüentado umas palestras ótemas! O olho da cara, mas afinal, é um investimento! Então, numa delas a Dona explicou que tudo é uma questão de saber procurar, que esse papo de balada não existe, afinal. em meio a dúzias de tequilas e centenas de cartões trocados, como saber quem é o cara que pode ser sua alma gêmea? Tem que saber procurar. De acordo com o que você quer, de preferência. Então, numa dessas resolvi freqüentar o setor de vinhos caros do mercado. Foi lá que conheci o Eduardo. Liiiindo, inteligente, charmoso e que tem o mesmo gosto por sandálias que eu! Afe!!!!

Desisti dos vinhos e encarei peças infantis aos domingos, dizem que é lá que os homens separados com filhos pequenos freqüentam, pois é, três casados e dois pedófilos depois, larguei de mão.

Em outra dessas palestras falaram que tudo é uma questão de padrão. Nós mulheres exigimos tanto que acabamos chupando o dedo. Bem, realmente eu esperava um homem lindo, rico, bem sucedido, inteligente, charmoso, simpático, fiel entre outras coisitas. Dois anos depois, se o garçon da pizzaria da esquina me falar boa noite, eu caso com ele!

9 comentários:

Anônimo disse...

Patrícia, veja como o mundo é uma sub estrutura defeituosa : eu quis a mesma cois durante anos. Na verdade eu tinha 17 anos quando comecei a querer casar, Fiz tudo o que um ser humano masculino poderia fazer. Cheguei até o noivado ! Uma vez lá, minha noiva foi viajar , casa de familiares. Fiquei só. Voltei a pensar da mesma forma que quando era só. E não entendi como pude ser enredado por uma mulher apenas por ser bonita, gostosa, inteligente , feliz, com bom humor, gostando de litertura e filmes e teatros e vida cultural e bons restaurantes e boas viagens, tudo como eu fazia. Ela era perfeita. Mas eu amava , realmente, a mim mesmo. Por isso casei comigo e sou feliz. Nem preciso usar aliança, já que confio cegamente em mim e sei que não me trairia nunca. E,. claro, descobri que não minto pra mim. Acho que a vida a sos é a melhor das maravilhas para quem se faz feliz. E eu me namoro todos os dias. ...

Iara disse...

Patricia, ótimo texto, muito bom mesmo, cheio de graça e verdades também.Adorei ler.
Iara

Casa das Bonecas de Pano de Ipiabas disse...

Oi querida Pátricia, o texto é muito bom gostei, passei pra saber como está vc e te desejar um lindo fim de semana bjs querida Leila

Jurubeba disse...

Paty,

Eu acho que já li esse seu texto... mesmo assim foi ótimo reler e ri da mesma forma. Mulher desesperada a procura... os homens devem correr da Veruska!

kkkkkkkkkk

Beijos ;)

Bia Bernardi disse...

O casamento é um mundo à parte, uma situação que só quem vive conhece seus prazeres e desgostos...

Com a pequena experiência que tenho desse mundo, se me perguntar se vale a pena casar, vou fazer minhas as palavras do poeta: tudo vale a pena se a alma não for pequena...

Accácia disse...

kkkkk,
Isso é que chamamos de mulheres desperadas!!!
Beijo!

Giuliana: disse...

Paty,

Texto ótimo, e o mais legal é ir lendo e reconhecendo o quanto de Veruskas existem no mundo.rs

Beijos.

Matheus Farizatto disse...

Quem está solteiro quer casar. Quem está casado quer ficar solteiro. Tem solteiro que tem medo de casar e tem casado que tem medo de virar amizade... xiiiii...

Veruskas e mais Veruskas...

Ótimo texto, Patty!
Beijão.

Leticia disse...

Paty!
Me matei de rir... conheço algumas peças dessas... rs.
Eu mesma tive uma fase estranha com relação a isso. Terminei um namoro que estava caminhando para casamento e surtei! Achava que não iria casar mais, que precisava arranjar um namorado e casar. Foi trash! (comecei a fazer terapia e odiei a terapeuta pra ajudar)
Ai, a deprê baixou e eu fiquei um bom tempo sozinha. Foi ótimo! Ai, comecei a namorar e casei.... mas fiz muita promessa pra Sto Antônio naquela época.
Beijos
lelê