27 de jun de 2008

Separações

Penso nas coisas a serem ditas e no entanto, meus olhos ainda fitam as unhas descascadas que tamborilo sobre a mesa.
Gostaria do silêncio agora, mas sei que ao se interpor sobre a gente, vai selar o que apenas se insinua em sua face; Por isso falo. Amenidades, a chuva que chega, o frio que se vai, a comida, a bebida... me arrasto em tediosas palavras, quase melódicas.
No fundo, brinco de mágico e hipnoticamente afasto o adeus que teus lábios hesitam em soar.

Nenhum comentário: