5 de set de 2013

Sobre Culpas no Armário


Tem gente que esconde dores. Tem gente que esconde amantes. Tem gente que esconde horrores pessoais. Tem até quem se esconda ali.

Ela escondia culpas. Imensas, ancestrais, que muitas vezes -a maioria delas - sequer lhe pertenciam. A verdade e que só conseguia ser feliz, até a pagina 2, e a noite,quando todos ressonavam tranquilos, ela se debatia na cama, presa nas teias do dia que se fora. 

Era a frase que não disse, o trabalho que não foi entregue, a esmola que não dera, ou dera, não importava, o que quer que tivesse feito, sempre teriam duas possibilidades, e a não escolhida era aquela que atormentaria seu sono... 

E seguia assim, adormecendo entre angustias,  até o dia que cansada, encarou seus monstros do armário. e um a um desnudou-os e percebeu: nada daquilo lhe pertencia. 

Pela ultima vez, abriu as portas do móvel e convidou a todos os monstros ali presentes a se retirarem. Depois dormiu. O sono tranquilo dos que não tem culpa. e ao sair para o emprego, pela ultima vez olhou o armário, agora vazio e de portas abertas, deu um sorriso, repleto de certezas e jogou as chaves no lixo. 

De agora em diante, não mais culpas gigantes que não lhe pertenciam. Apenas aquelas que lhe coubesse, e que pudessem ser depositadas, ao fim de um dia difícil, sobre o criado mudo.

5 comentários:

Júuh . disse...

Tenho essa mania de carregar além das minhas culpas, as culpas dos outros, sabe? Mas, chega uma hora que você pára e pensa: Pra quê? Por que? Não vale a pena. Já bastam os nossos pesos, nossas preocupações.

E assim, a vida segue, tão mais leve. Que a gente não confunda a culpa dos outros com as nossas!

Beijos, Paty, querida! :)

Simone Aline disse...

Nossa Patrícia... quem nunca manteve monstros assim no armário? Precisamos fazer essa "limpeza" sempre... tenho essa mania de levar as coisas para a cama, exatamente nesse período que todos dormem... Ali fico eu, pensando, lembrando, sorrindo ou chorando... até que o sono venha! Ou até que eu abra o armário =/
Bjks!

Cláudia Pinto disse...

Perfeito.

Sou dessas. Quantas noites mal dormidas por coisas que fiz e/ou que deixei de fazer. Nada de grave, graças à Deus. Mas a culpa sempre me perseguiu, desde criança, essa monstra.

beijooos

Fernanda Reali disse...

Me livrei muito desses monstros depois da terapia, mas se a gente der chance, eles voltam para nos assombrar. os mostros da culpa se multiplicam se a gente der chance.

vou compartilhar!

bjs

Adelaide Araçai disse...

Eu era exatamente assim até que um dia eu e minha filha estávamos indo ao encontro de meu marido e passamos por pessoas que vendiam balas e eu recusei, depois pessoas que pediam dinheiro e eu recusei...Então fui acometida por uma culpa enorme por não estar ajudando e estar dando um péssimo exemplo a minha filha de 5 anos, quando fomos parados por uma mulher em uma cadeira de rodas e pedia informações, expliquei e a ajudei a ir até o local que queria. Neste dia me recuperei, vi que sempre tenho a oportunidade de "me desculpar"........Foi libertador

Adorei o texto

Muita Luz e Paz
Abraços