16 de fev de 2016

Retratos de uma Sociedade Anunciada

Viver numa sociedade "Sincericída" é cansativo.

A outra bate no peito e vomita verdades, as dela. Como se fossem absolutas, como se fossem as únicas.

Ser autentica virou sinônimo de dizer de maneira grosseira aquilo que sequer lhe foi perguntado: Tudo, com o intuito, claro, de ajudar, afinal, a outra é assim mesmo. Fala o que lhe vem na telha. Sem filtro. (Confesso que um photoshop educativo nessas horas, faz falta)

É um tal de julgar para lá, um tal de condenar pra cá. Se viva minha vó fosse, mandaria "macaco, vá cuidar do seu rabo!"

Assisto a tudo, sem muita vontade de fazer parte, até porquê, quem disse que a minha verdade é a verdadeira. É apenas mais uma, a minha.

Eu hein! Tô fora de dedos em ristes e frases definitivas.

Alias, ainda recorrendo a minha avozinha: de definitivo, basta a morte. E Deus me livre disso! - Pelo menos por enquanto.

2 comentários:

Casa das Bonecas de Pano de Ipiabas disse...

olá amiga passando pra deixar abraços

Diana Machado disse...

"macaco, vá cuidar do seu rabo", é uma boa frase para dizer a muitos!