26 de jan de 2014

Excessos

Já não quero mais meias-verdades. Tampouco segredos sussurrados. Estou cansada das palavras meio-ditas, de afetos pela metade. de promessas não cumpridas. Cheia demais daquilo que não é dito, das entrelinhas.
O "talvez" e "se" e mesmo o "não" andam me entediando. Estou cansada do impossível; do "não pode", do "não te pertence" ou do "não consegue".

Ah, eu ando farta! Farta demais das impossibilidades!

Cansada de tudo aquilo que falta. Quero certezas e sins. E não pouco, ou pela metade! Quero o copo cheio! Quero a alma plena! O amor inteiro e o riso frouxo!

Hoje quero excessos!

16 de jan de 2014

Contradições

Eu falo das coisas que não deveriam ser ditas. Eu acredito em promessas, que sei que não serão cumpridas. Eu finjo sorrisos e anseio por abraços. Tem horas em mim que a felicidade jorra nos gestos, tem horas que falta. Sinto sozinha uma cidade repleta de faces. Eu fico em silêncio, rodeada de sons. Eu falo em angústias e procuro poesias. Contradições.

11 de jan de 2014

Pote de Memórias




A Dani Moreno do Blog http://www.danimoreno.com.br/2014/01/pote-de-memorias.html falou sobre o Pote de Memórias, propondo que ao longo do ano, anotássemos tudo que nos tinha feito bem no dia e colocássemos no pote e no final do ano lêssemos e pudêssemos ver quanta coisa boa nos aconteceu - ou até mesmo, num dia particularmente difícil, relembrar esses acontecimentos, como forma de acalentar o coração. Uma espécie de poupança afetiva. 

Resolvi fazer diferente, no lugar de um pote, fiz um saco de memórias, o coloquei num lugar especial, com caneta e papelzinho ao lado e começo hoje a depositar minhas pequenas felicidades.


Esse é o meu, mas achei tão lindo, que já disponibilizei na Bichos De Patch.

6 de jan de 2014

Minha Dieta Dukan

Vou confessar uma coisa. Nunca fiz dieta na minha vida. Primeiro porque até mais ou menos meus 30 e pouquinhos era magra que nem uma tripa. Comecei a engordar por fatores diversos, os quais contei num post anterior.

E a partir do momento que fiquei gorda, não me incomodei com isso. E não era porque eu não ligava pra mim, mas por achar que o meu conteúdo era muito maior que o meu físico. Sei que muita gente não acredita, mas eu realmente não ligava/ligo para o fato de ser gorda. Gosto de mim exatamente do jeito que sou: magra, gorda, alta, baixa, careca, com cabelo - minha auto-estima passa por aquilo que produzo, não pelo físico que tenho.

Obviamente, que quando você está gorda, a sua percepção dos olhares, dos comentários, das atitudes das pessoas, parece que aumenta. Sei que tem gente que nem percebe, mas a obesidade alheia o incomoda. Passa a ser desagradável você sentar num local para comer e ser foco de atenções, por que gorda não devia comer, ou ter suas compras de mercado julgadas e condenadas pelos magros da fila,  ou ainda não conseguir comprar roupa, a não ser em lojas especializadas no seu tipo físico.Mas, embora isso me incomodasse, não foi o fator primordial para me convencer que precisava emagrecer.

Comecei 2013 com quase 100 kg, fumando e com hipertensão. Durante boa parte do ano, tive problemas de saúde, alguns simples como enxaqueca, outros mais complexos, como crises de hipertensão e uma sensação de perda de visão - que me fez penar meses fazendo exames complexos. 

Então, se eu fosse resumir porque comecei a fazer dieta, diria que foi por medo. Medo, não da morte, mas de ficar presa a uma cama, sendo um fardo para pessoas que me amam. Medo de não poder ver meu filho crescer. Medo. Simplesmente medo.

Em abril parei de fumar, definitivamente. Eu já havia parado antes, quando fiquei grávida e não fumei durante cinco anos. Burramente voltei e fumei muito nos últimos dois anos. Hoje eu sei porque voltei. Quando parei, não parei por mim, mas pela criança que esperava, e cigarro, não tem jeito: você tem que parar por você, e tão somente por você. Tem que olhar o maço e dizer: eu não preciso mais disso. E se convencer diariamente disso. Cigarro é igual bebida, e tem que ser trabalhado o vicio exatamente igual.

Parei com o cigarro e comecei um processo de reeducação alimentar não só pra mim, mas para toda minha família. Revi algumas coisas que estavam erradas e fui tentando acertar.

Nesse período comecei a ouvir algumas amigas do Facebook falando sobre a dieta Dukan. Embora meu pré-conceito me fizesse julgar "como mais uma dieta modinha" - fui me permitindo ouvir mais sobre o assunto, ler um artigo aqui, estudar os prós e contras ali e aos poucos fui percebendo que essa dieta tinha sintonia comigo. Que mesmo sendo uma dieta restritiva, era restritiva com coisas que eu podia abrir mão. E os resultados eram bem rápidos e visíveis, era impressionante ver minhas amigas comentando que perderam, 10 kg, 20 kg ou 30 kg em período pequeno de tempo. 

Decidida a dieta, juntei marido e filho para explicar as mudanças e o melhor de tudo, foi não só receber o apoio do marido, como poder contar com ele na dieta! Fazer dieta junto é muito mais fácil. 

Tem mais ou menos 40 dias que estou nessa dieta e já perdi 10 kg - lembrando que teve Naral e Ano Novo nesse meio do caminho. rs Meu marido, já perdeu mais de 10 kg - homens perdem peso mais rápido.
Mas, o mais surpreendente foi o abdome, quando comecei a dieta tinha 117 cm de cintura. Hoje cheguei aos 97 cm - 20 cm a menos!!!!

Sei que tem muita gente que acha a Dieta Dukan bem complicada, cara, restritiva demais etc Mas, isso é só impressão, depois que você começa a entender as etapas, o que pode ou não, tudo fica muito mais simples.

Pra inicio de conversa, é uma dieta que segue quatro principios básicos:

1) Não pode carboidrato - significa que adeus pão, macarrão, alimentos feitos com farinha de trigo, alguns cereais, doces, açúcar
.
2) Você precisa beber água. No mínimo 2 litros por dia. - eu tinha uma dificuldade imensa de beber água, então passei a encarar a água como remédio. Tenho minhas garrafinhas de 500 ml, as quais me obrigo a beber durante o dia.

3) Faça exercício físico - o livro recomenda, 20 minutos de caminhada por dia. Esse costuma ser o grande obstáculo de quem começa a dieta. Não tenho tempo. Não tem lugar para caminhar perto de casa. Isso não é verdade. Não tenho dinheiro para academia, nem para aparelhos de ginástica. É sério. são desculpas que a gente arruma para nos sabotar. Tenho caminhado praticamente todos os dias utilizando as seguintes artimanhas, tenho que ir ao mercado, opto sempre pelo mercado mais distante. Se tenho que resolver alguma coisa em um bairro próximo, vou à pé. Se tem escada, dispenso o elevador. E assim tenho garantido meus exercícios diários.
Recentemente descobri os dois degraus da minha porta, tenho uma mini-escadinha, e tem uma semana que faço step nesses degraus. . 

4) Coma Farelo de Aveia -além de ajudar a emagrecer, reduz o colesterol e auxilia no processo digestivo, evitando a prisão de ventre.

Grave isso. 

E leia o livro: "Não Consigo Emagrecer" de Pierre Dukan - nesse livro é explicado de maneira clara e tranquila, o porque de se cortar os carboidratos, o que você pode ou não comer e as fases da dieta, que é dividida em 3 fases:

A Fase de Ataque - que é bem restritiva, não pode comer nada, com exceção de proteína, laticínios e farelo de aveia. Essa fase é curta, dura no máximo 6 dias. 

A Fase de Cruzeiro - que é mais demorada, mas que já inclui nas refeições verduras e legumes - Nessa fase não pode frutas, mas eu não consigo ficar sem, então acrescentei por minha conta, fruta três vezes por semana. Faço smoothies e tomo uma vez ao dia. Nessa fase, você irá alternar dias de proteína pura com proteína e legumes/verduras

A Fase de Consolidação - que é quase o final da dieta, onde o cardápio vai aumentar, quase não vai ter restrição. 

E o encerramento da dieta, que é a Estabilização, onde você atinge o seu peso ideal.

Para saber mais sobre as fases e quanto tempo você vai ficar em cada uma, acesse o site oficial da dieta:   https://www.dietadukan.com.br/ e faça a avaliação - que é gratuita. Mas, se você quiser um acompanhamento mais personalizado, com orientação de uma equipe especializada, você paga uma taxa e garante tudo isso. 

Eu, particularmente, por falta de grana, estou fazendo sem essa orientação. Tenho um pouco mais de trabalho de pesquisar receitas, dicas, mas é a vida. rs

Agora é imprescindível que você faça a avaliação - pois só ela te dirá o tempo que você vai ficar na Fase de Ataque. 

Pesquisando na internet você vai achar várias coisas legais, sugestões de cardápio, receitas, dicas etc No Facebook tem vários grupos de apoio.

Algumas coisas que me ajudam muito nessa dieta - iogurte desnatado e gelatina diet salvam a vida das pessoas. rs Quando bate a necessidade de doce, só a gelatina salva. Mas, evite as gelatinas que tenham em sua composição aspartame! Opte por aquelas que utilizarem stevia como adoçante. Vou falar sobre isso em outro post, mas evite adoçante sintético. Faz mal, de verdade!
Ah, e você pode comer gelatina diet na Fase de Ataque!

Abaixo uma lista de sites que ajudam:
http://euseidisso.com.br/tag/dieta-dukan/  - da Sandra Peres, ajuda sempre que preciso tirar uma dúvida ou quero um cardápio diferente.
http://www.dietaereceitas.com.br/receitas-dukan - Tem receitas para cada uma das fases.
http://cruzeirodukan.wordpress.com/ - outro blog de receitas que vale a pena.

Esse é o primeiro post que falo sobre esse tema. Quero falar mais e contar minhas experiências culinárias nessa dieta. Próximo post, vou dar a receita do iogurte desnatado caseiro! 

5 de jan de 2014

Saber Ser

Ela sabia que poderia ser feliz se enxergasse a vida com olhares menos carregados de nãos, se pudesse, pelo menos por alguns instantes, acreditar em livros de auto-ajuda. 

Ela seria feliz com certeza, se fosse capaz de acreditar em fadas, duendes, fantasia e príncipe encantado. Se carregasse menos incertezas na face e menos impossibilidades nas mãos. Se ela se ativesse mais nos sonhos e menos no despertar. Ah,sim! Ela seria muito feliz.

Se o coração batesse menos descompassado, se a cabeça não girasse tanto repleta de ansiedades, se fosse capaz de enxergar o fim do arco-íris, se tivesse uma flor amarela na janela... A felicidade faria parte da sua vida, ela sabia. 

Sabia também, que se não soubesse tanto, se intuísse mais, se cantarolasse àquela canção romântica, se não se preocupasse tanto com as calorias consumidas, e não se importasse com o sumo da fruta escorrendo no queixo, a felicidade seria a companheira de todas as horas. 

Mas o que ela sabia de verdade, era que talvez se não falassem tanto em como ela deveria ser feliz, se a felicidade não ficasse tão exposta em banca de revista, se não a transformassem em produto obrigatório, em fórmulas perfeitas e redondinhas de como ser e proceder para ser feliz,  talvez, ela até pudesse ser feliz. No entanto, com tudo isso que sabia, ela não sabia se aquilo era o que queria ser.