30 de dez de 2010

Balançando 2010 - II parte (O que trouxe de bom: Amizades)

Quando 1998 terminou, quis apagar ele da minha mente. E de certa forma, consegui. Hoje olho para trás, e só lembro dos últimos meses desse ano tão terrível na minha vida. 

Mas, não é esse meu sentimento em relação a 2010. Que ele se encerre e leve com ele um ciclo cármico de aprendizado, mas levarei comigo algumas coisas preciosas que ele me trouxe, como por exemplo, as amizades.

Sim, 2010 foi o ano onde reencontrei o calor, o afeto e o carinho de amizades sinceras.

Impossível fechar esse ano sem agradecer a todas essas pessoas que me ensinaram muito! Foram tantas as manifestações de carinho, de identificações, cada uma a seu jeito me deram colo e seguraram minha mão em momentos essenciais.

Como fechar esse ano sem falar da Fernanda Reali? A amiga que o BBB me trouxe e que não quero perder nunca mais! Ela diz que sou a professora dela, mas quer saber a verdade? Quem me ensinou/ensina tanta coisa foi/é ela! Foi ela que me ensinou que Felicidade é uma questão de escolha. A gente escolhe ser feliz e o resto é consequência.  Foi com ela também que aprendi a me superar. Sério, para a Fer não existe impossível, ela simplesmente diz, dá para fazer e sabe, é com tanta propriedade, que acabo acreditando e vou lá e faço. Também é uma excelente professora de marketing, publicidade e relações públicas, foram com suas dicas que a Bichos de Pano nasceu, cresceu e começa hoje um processo de consolidação. 

Tem sempre uma palavra amiga, um abraço apertado num momento dificil, uma forma de mostrar que tudo - mesmo o que parece ruir - tem solução.

E o que falar do poder de convencimento dessa mulher? Devagar, mas sem dar uma única ordem, ela te convence a pintar as unhas, cuidar da saúde, alisar os cabelos... Pois é, numa conversa com ela, você descobre que precisa cultivar mais sua auto-estima...

Além de tudo isso, a mulher se encarrega de construir círculos de amizade, te apresenta um blog ali, comenta sobre uma dica acolá e de repente, seu círculo de amizade se expande, repleto de pessoas maravilhosas, todas trazidas pelas mãos mágicas dessa gúria (por que ela é uma carioca exxxxxxperta lá do sul!) rs

E sabe, não sei se teria sobrevivido 2010 sem ela por perto e sem a Bel, minha outra grande amiga do coração, da qual poderia falar ainda milhões de coisas, mas acho que neste post, expressei o quanto a amo!

E, é por isso que desejo a todos vocês:  
@ElaineGaspareto - Uma querida que escreve palavras tão lindas;
@Coisasdelily  - Amiga talentosa e especial que tive o prazer de conhecer pessoalmente este ano!
@Lilahleitora - A grávida mais goxtosa da América, que nos dá uma aula de como todos nós podemos vencer os preconceitos.
@Dona_Amélia minha irmã arteira, doce e tão querida, que também passou por momentos dificeis nesse 2010.
@DocesVerdades - Minha amiga das letras, que nutre o mesmo sonho que eu, de um dia publicar seu livro.
@CasadeCatarina  - Minha decoradora favorita, sempre tão cheia de dicas maravilhosas para seu cantinho e que me deu a honra de acompanhar seu casamento, quase em tempo real. rs
@Intense_  - Minha caçula sempre tão cheia de opiniões e dúvidas. Que também teve 2010 cravando suas garras em seu peito, mas que hoje segue em frente, mais forte do que nunca.
@lolaSPFC  - A desbocada mais sexie do twitter! Que me fez rir muito e me emocionar quase na mesma medida, outra que teve 2010 sobre seus ombros.
@Mauj77   - Meu correspondente internacional lá das terras do oriente, sempre com posts e comentários inteligentes e que me emocionam muito.
@ThaysRocha - A mamãe talentosa e doce, sempre com palavras amigas que te estimulam.
@Jadycg  - Minha companheira de banheiro, que vem me acompanhando há tantos anos e que agora inicia uma nova fase em sua vida
@DoridLua - Minha peixinha querida, alegre e sempre tão pra cima.
@Giu_lopes - Minha conselheira de dicas sempre tão úteis para a casa, para a vida, além de dona de um bom humor maravilhoso.
@LuciCardinelli - Essa me conquistou pelos comentários amigos e sempre tão doces nos meus post mais deprê, o bom é que ela é carioca e que em breve iremos nos encontrar pessoalmente!
@Iarapoesia - Poetisa de palavras encantadores, que nos brinda com poesias prá lá de especiais e que me deu a honra de ter um livro seu presenteado para sorteio aqui no blog (em janeiro vai rolar, aguardem).

E mais a tantos que não dá para citar todos, pois senão ficaria um post imenso, mas a cada um de vocês, que me dá o prazer e a honra de vir aqui e interagir de alguma forma comigo. Para todos vocês eu desejo do fundo do coração:
1) Menos spam e mais e-mails amigos na correspondência eletrônica;

2) Mais conversas leves nos twitter e menos patrulhadores intelectualoides;

3) Que os comentários abundem (sem trocadilhos, please, rs) nos seus blogs;

4) Que os IPs dos chatos e patrulhadores de blogs sejam auto-bloqueados;

5) Que ninguém leve mais unfollow!

6) Que o BBB seja bem melhor do que o de 2010;

7) Que todos os idiotas sejam proibidos de usar o twitter;

8) Que os cientistas descubram uma maneira de emagrecer comendo chocolate;

9) Que ganhemos R$ 1,00 para cada pessoa que diga : Você engordou, heim? 

10) E só para terminar, um nada original FELIZ 2011 para todos nós!

27 de dez de 2010

Balançando 2010

E então, estamos na última semana do mês. De repente, 2010 com todo seu peso, suas dores, suas impossibilidades  começa o lento arrastar-se da despedida. Penso no que esse ano representou. No rótulo que terá quando olhá-lo de longe. Durante muito tempo quis acreditar que tinha sido um ano dificil. Hoje, já não sei mais. Apenas mais um ano, onde colhi frutos daquilo que plantei ao longo de toda uma trajetória.  Por que no fundo é só isso. Somos o que fomos nos esculpindo ao longo da nossa caminhada. Nada de destinos, designios mistícos, maldições ou bençãos.

Mas, é inevitável avaliar o ano num contexto mais amplo que meu umbigo e 2010 representa bem a finalização de uma década, tragédias, descobertas científicas importantes, a vida encerrando um ciclo. Estou pronta para um novo começo? Consegui me transformar o suficiente para dar o próximo passo? Respostas que só virão no decorrer de 2011.

Sei que 2010 me fez enxergar uma míriade de cores diferentes, e olha que um bom tempo, só enxergava gris. Percebi que ser farol e rochedo batido pelas ondas também é uma questão de escolha e as vezes é bom se permitir garrafas ao mar. E eu, tão afeita a solidões intransponíveis, me permiti abraços e sorrisos.

No meio de 2010 cheguei a conclusão de que tudo que queria era sobreviver a 2010 e bem, cumpri essa meta, quanto a 2011, vamos deixar ele acontecer para pensar no que quero dele ou o que ele quer de mim...             

26 de dez de 2010

Festa de Fim de Ano

Você entra no salão de tortur... ops salão de beleza, convencida de que é ali que se resolvem todos os seus problemas. Determinada senta e enfia as mãos e os pés em água fervente, enquanto a manicure enfia uma espátula de metal em suas unhas, depois com um alicate amolado, corta pedaços da pele e te faz sangrar. Não satisfeita, passa um algodãozinho com álcool que é para arder bem. E você pensa, quase como um mantra a tal frase da mamãe:"Que para ficar bonita tem que sofrer".

Com as mãos e os pés ardendo, você enfrenta o cabeleireiro, que puxa com força seus cabelos, enquanto tenta te fazer ficar surda com o secador. Além é claro de queimar suas orelhas o tempo inteiro. Quando a cabelereira pergunta se está doendo, você esboça um sorriso, enxuga uma lagrima que teima escapar e geme um nãaaao, imaginaaaa! E, ainda falta a depilação e a limpeza de pele.

Respirando fundo, você encara a depiladora, que vem com um sorriso nos lábios, passa um aparelhozinho e te besunta de cera. Você ali pronta para a imolação final, reza três Pais Nossos e uma dezena de Aves Marias, enquanto ela gruda um papel em suas pernas, virilha e axilas e puxa. Mesmo assim você sorri, travando os dentes porque é moça de boa família e a mãe dela não tem nada haver com o caso, quando a desgraçada pergunta se está doendo.

Bem, como sua coragem se encerrou no momento em que sua virilha foi devidamente arrancada, você desiste de enfrentar a limpeza de pele, dando como desculpas a avançado da hora. Sai da clinica de beleza, vermelha, doída, mas linda, leve e quase loira, que ainda não teve coragem de pintar os cabelos. Mas, um dia chega lá! Ah, se chega...

Em casa, pega o vestidinho preto, aquele que não cabe em você, faz mais de anos, e se espreme num modelador que não devia caber em uma criança de três meses.

Sua mãe pergunta se está tudo bem. Está, responde. Só não posso respirar. E não respira. Nem come. Tampouco vai ao banheiro. Vai que essa droga resolva rasgar?!

Tudo isso para chegar na festa e encontrar aquele cara maravilhoso. Aquele, que te fez ficar uma semana comendo capim, para entrar no tal vestido, que, por sinal, continua não cabendo. O teu sonho de consumo. Alto, lindo, moreno. Que te serve café no intervalo e sempre pergunta sobre o tempo.

Você lá, linda, sem respirar, com um copo na mão, só para enfeitar, que se beber alguma coisa, você explode. Pois é, ele chega e você suspira. Suspira ainda mais quando vê que ele está com um amigo tão lindo quanto ele. Seu coração vai a mil quando ele se aproxima.

Quase desmaiando ouve o boa noite e só ai você repara que eles estão de mãos dadas e só ai você percebe que ele está te apresentando o namorado. Nesse momento, minha amiga, você só tem duas alternativas: ou cortar os pulsos, ou ir ao banheiro, tirar a cinta e encher a cara, junto com os namorados, é claro, que podem vir a se tornar ótimos amigos seus.

23 de dez de 2010

Sob seu Encanto!

Eu tinha que escrever para você. Tinha que te dizer que queria esse Natal  quase tão mágico como aqueles que tínhamos quando crianças. Sabe, quando terminava a ceia e tínhamos a autorização para rodar nas casas da vizinhança, ganhando presente aqui, comendo uma rabanada ali... 

Fazia tempo em que eu não me sentia tão feliz nessa época. Você sabe, depois que os avôs morreram, todos os natais começaram a ficar meio cinzas. Você me conhece, o que me incomoda nessas datas é toda a hipocrisia da coisa, pessoas que se odeiam nessa data se abraçam, dizem palavras lindas umas para as outras, mas amanhã, continuarão se odiando da mesma forma! Tudo falso e tão triste. Um mar de comida à mesa e toda uma geração de famintos rondando nossas janelas. 

Foi por isso que aboli o Natal da minha vida já faz tempo. Gosto de ficar só. Rodeada apenas por aqueles que amo e que sei que me amam. Poucas pessoas, quase só eu e ele, e você, se estivesse aqui... uma comida simples, filmes na tv e uma boa sensação de paz. 

Há quatro anos temos um outro participante, que você ainda não conhece,  mas agora,  ele participa efetivamente.

Com ele,  o Natal começa antes, ainda no inicio de dezembro, na aventura de montar a árvore e botar enfeite na porta e ensinar canções natalinas (que ele aprende rápido e que exige que sejam cantadas todas as noites, na hora de dormir).

Posso dizer que desde então, todos os dias têm sido Natal. Principalmente por que ele conversa com Papai Noel quase todos os dias e passou a ficar muito preocupado em ser um bom rapaz para ganhar o presente desejado. 

Sei que ele está ansioso e toda hora pergunta que dia é hoje e se já é hora do Papai Noel chegar.  E apesar de tudo que veio nos acontecendo esse ano, fico feliz de termos conseguido comprar o presente que ele sussurrou no ouvido do Papai Noel do shopping.


E, sabe, naquele momento tudo, tudo o que estamos passando, as dificuldades, os problemas que se amontoam aos nossos pés, tudo isso desapareceu como por encanto. 

Ele sorriu e agradeceu ao Papai Noel e nós, que há muito deixamos de acreditar em magia, quase podemos ouvir o som das renas sobre nosso telhado.

beijos,

PD

20 de dez de 2010

Amigo-Oculto ou 2010 trouxe coisas maravilhosas também!

Faço parte do time, não dou sorte com amigo-ocultos. Desde que comecei a participar, só me lascava! rs Um ano, ganhei o melhor do samba enredo do ano tal - e eu DETESTO carnaval. Teve ano de não ganhar nada - a pessoa que me tirou, simplesmente não apareceu. Ah, e já ganhei calcinhas (em amigo-oculto do serviço!), meias e um livro velho (sério mesmo, a pessoa, pegou o primeiro da estante, provavelmente o que nunca leu e me deu).

O melhor de todos foi um que ganhei uma barbie que voava! A boneca tinha um encaixe na traseira (oi!) e puxando uma alavanca, voava. Mecanismo similar ao do pirocóptero. Claro que também teve momentos bons, ano passado participei de um que ganhei dois livros que AMO!!!! Era um amigo-oculto virtual, não conhecia nenhum dos participantes, a não ser pela leitura dos blogs, e foi uma experiência tão boa, que esse ano resolvi repetir e em dose tripla! rs 

Participei da Bruxa-Secreta, que falei bem aqui! Participo do Amiga craft, com todas as arteiras que conheço e é claro, que quando a Intense propôs o amigo-oculto vip (piada interna) com direito a festa na laje, cai dentro! 

Foram poucas as participantes, eu, Jady, Bel, Intense, Aline e Jullyane - companheiras de bate-bola no twitter, nos e-mails e blogs. Cadastramos no site Amigo Secreto e começamos nosso batuque na laje. Foi um tal de bilhetinho pra lá, piadinhas pra cá. Nunca me diverti tanto como nesse amigo-oculto. De cara, amei a pessoa que tirei, claro que amaria ter tirado qualquer uma das meninas, mas quem eu tirei, tem um sabor extra, explico quando ela receber o presente. rs

E mais do que tudo, amei quem me tirou. Primeiro pelos bilhetes, sempre tão carinhosos, depois por que ganhei um apelido que amei: "Boneca de pano" - eu, como arteira que sou, fui me sentindo representada em cada uma das palavras que recebia, quase diariamente! 

Aos poucos comecei a desconfiar de quem seria. Juntei pistas aqui, pistas acolá e cheguei a conclusão de que só poderia ser duas pessoas.  

E então chegou o meu presente. Da minha loja "sonho de consumo" - La Pomme! Dentro de uma embalagem perfumada, contendo uma outra caixa com o símbolo da Bichos de Pano e envolta em um papel delicado, estava a mais linda agenda que já tinha visto. Totalmente personalizada, com minha marca e meu nome impresso, inclusive com um marcador de página, uma fita de cetim. Linda... e anônima!

Como assim? Nenhum bilhete, nenhuma pista a não ser o nome da loja e o endereço. Dai eu lembrei de uma certa pessoa que sofre de DDA e que já  tinha avisado que se alguém recebesse presente sem identificação, era o dela!  Pois é, claro que tinha que ser a Bel a me tirar no AS!

Minha história com Bel tem pouco mais de dois anos, ela achava que eu não gostava dela, e eu tinha cer-te-za de que ela não gostava de mim! rs O que sei, e que  nós fomos nos conquistando. No inicio, por meio dos comentários, aos poucos pelos raros e-mails (é, a culpa é minha, não sou muito de escrever e-mail), mas foi via twitter que passamos a nos falar quase que diariamente e dai as semelhanças e diferenças, começaram a se desenhar com maior nitidez e de repente, não mais do que de repente, queria muito ir para Ilheus e sentar para tomar uma coca bem gelada com ela e conversar horas e horas, sobre tudo, fotos, vida, experiências de vida, etc

Bel foi uma das poucas a ouvir meus gritos quando a coisa toda por aqui ficou pesada demais e foi ela e seus e-mails confortadores que me ajudaram a seguir em frente. Por dois momentos sua presença, mesmo a distância me fez chorar de alegria. Por vários momentos, e ela nem sabe quantos, nem quais, ler seu comentário no blog ou sua frase no twitter  me fez respirar fundo e enxergar  sob uma nova ótica.

Esse ano, aprendi um monde de coisa, viver é isso, um constante aprendizado, e foi com ela, que aprendi o verdadeiro significado da generosidade, da gentileza, da amizade incondicional e mais um tanto de coisa, que só uma pessoa muito especial pode ensinar!

De tudo, o que queria era agradecer muito, não só pelo presente de AS, mas por tudo que ela fez por mim, esse ano, e se Papai Noel me ouvisse, queria muito que ele realizasse dois desejos (o de ganhar na megasena da virada é outra história, rs): Um, que tivessemos a chance de nos conhecer pessoalmente - tomar uma coca gelada em Ilhéus seria maravilhoso! e o outro pedido, é que a dor, que sei que hoje ela anda sentindo, fruto de ruídos de relacionamentos familiares - que não vem o caso expor aqui, pudesse acabar. Que o 2011 trouxesse abraços,  sorrisos e cumplicidade de volta a vida dela e de quem ela ama. Fica a dica, viu, Papai Noel?

16 de dez de 2010

Correios #FAIL - Botando a boca no mundo

Sou paranóica com horários, compromissos e prazos. Sério mesmo, dependendo da importância do compromisso assumido, visualizo, antes de dormir e ao acordar, todas as etapas que envolvem esse compromisso: Se é uma encomenda, listo mentalmente, quanto vou precisar de material, de tempo para confeccionar a peça, elaboração da mesma, etc. Se é um compromisso físico, encontrar com alguém, monto a roupa, cabelo e sapatos que vou, tudo mentalmente.

É claro, que mesmo com todo esse planejamento, coisas dão errado, ainda mais para mim, com signo ascendente em Murphy e com o mesmo regendo minha lua, marte, saturno ou o que seja.

Explicando, como faço artesanato, costumo dar 10 dias de prazo para confeccionar a encomenda - se for pouca coisa - prazo excelente para segurar possíveis imprevistos, como falta de um tecido, de um material qualquer necessário. 

Mas, as vezes, nem esse prazo de 10 dias dá. Ou o tecido demora mais pra chegar na loja, ou a humana aqui tem uma crise monstro de enxaqueca, que a obriga a ficar de molho, etc.

Para compensar, mudo a forma de enviar a encomenda. A maior parte das pessoas paga PAC - sistema de envio de mercadorias pelo correio, que tem um preço acessível à maioria. Demora em média de 3 a 10 dias úteis para chegar no local de destino. Em épocas de maior demanda, pode demorar até 15 dias (dito informalmente pela funcionária de uma agência).

Como falei, para compensar o atraso, envio por SEDEX - a menina dos olhos dos Correios, que te promete entregar TUDO até em 48 horas dependendo da região - nas capitais, o prazo dado são de 1 dia útil + o dia da postagem. É mais caro, cerca de 50% a mais do que o PAC. Mas, como fui eu que atrasei, não me importo de pagar a diferença do frete, na verdade, não é mais do que minha obrigação fazer isso!

O mais importante de tudo, é garantir que a encomenda seja entregue no prazo que a pessoa pediu.  Isso é, apesar dos percalços e tropeços, tento cumprir meus compromissos! E o mínimo que posso (e devo) fazer por merecer a confiança do cliente.

Então, porque os CORREIOS não podem ter esse mesmo respeito pelos seus clientes? Explico: Estou com duas encomendas desaparecidas. Uma enviada por PAC - PB024467693BR- desde o dia 30/11 e outra - a mais grave de todas - um SEDEX - SK420674890BR (prazo máximo, segundo o site, de 24 horas, para a entrega) desde o dia 09/12!!!!

Já enviei reclamação  - Fale com os Correios -. Ligo todo o dia para ouvidoria dos Correios e tudo que tenho como retorno, é o mais absoluto silêncio por parte deles.

E ai, faço o quê e como? Por que se eu erro, tenho que devolver dinheiro, ressarcir meus clientes, isto é, devo mostrar responsabilidades dos meus atos. E quando os Correios erram? Faz-se o quê? Se não tem um único lugar REAL que acate suas reclamações, que assuma o erro e encaminhe procedimentos para corrigí-los?

Sendo os Correios a ÚNICA empresa legalmente reconhecida para enviar e transportar encomendas pelo território nacional, no momento que essa empresa falha,  não assume compromissos regulamentados e pagos, faz-se o quê? Chorar? Eu já chorei, de raiva e de impotência devido a isso. Assumi com a cliente o compromisso de reenviar uma nova encomenda para ela - mas é o medo, de novamente não chegar?

 Mas ainda assim, existem outras encomendas a caminho, todas por SEDEX - que também estão sob risco. Não dá mais para confiar! E, sendo assim, faço o quê, já que 90% das minhas relações comerciais precisam de envio e transporte?  Sinceramente, neste momento, não sei o que fazer, além de reclamar aonde posso e entrar com processo contra os Correios! 

Tudo isso já está sendo feito, mas nada me dá a garantia que as encomendas serão entregues, como paguei para que fossem, no prazo que os clientes precisam. E depois querem que a gente acredite na propaganda bonitinha de que a única coisa confiável é que o SEDEX chega no prazo!

12 de dez de 2010

Enquanto Você Dormia

Moro em uma vila. Composta por um prédio de dois andares na frente e um conjunto de casas. Na zona norte do Rio. Numa rua relativamente tranquila, e, sem muitos sobressaltos.

Só para ilustrar, cansei de esquecer a porta/janela entreaberta ao sair e nada acontecer.

Dai, que um maluco invadiu o prédio da frente hoje de madrugada, subiu no telhado, tomou banho na caixa d´água e resolveu praticar tiro ao alvo com as telhas e berrar que queria morrer, que queriam matar ele, etc

Resultado: metade do telhado do prédio destelhado, água imprópria para o consumo, antena da Sky do vizinho quebrada e polícia e corpo de bombeiros às 6 da manhã, convencendo o maluco a descer, com direito a corinho da vizinhança gritando: "PULA"

E com tudo isso acontecendo, praticamente debaixo da minha janela, eu, marido e filhote DORMIAMOS o sono dos justos!

Sim, amigos, quando finalmente resolvemos levantar da cama e abrir a casa, tudo já estava na santa paz de Deus, a não ser pelo bafafá dos vizinhos, todo mundo querendo dar a sua versão! E a gente, ouvindo tudo como se tivesse acontecido em outro pais.

É claro, o melhor de tudo, foi a cara dos vizinhos quando a gente  dizia que não tinha ouvido nada. Nós, que já somos considerados "Os Esquisitos" fizemos, finalmente, jus a fama.

10 de dez de 2010

Dia de Lavar Alma

Caminho distraída pela calçada. Carros, pedestres, confusão de rostos e corpos me esbarrando. Chove e deixo-me estar ali. Pingando pelos caminhos, sem guarda-chuvas. Por que decidi que hoje é dia de lavar alma. Logo ela, tão cansada do eterno estar e ser do dia-a-dia. Deixo que descubra a poesia das gotas.

Ando incrivelmente com vontade de abraçar o universo. Sorriso bobo no espelho. Nem mesmo as rugas em torno dos olhos conseguem amenizar a estranha sensação de felicidade que por hora me invade. Sei que é breve. Em mim, há pouco espaço para alegrias, natureza noturna, circunspectamente minha face espreita indagações. Mas hoje, não. Hoje me visto de certezas e sensações.

E caminho lavada de chuva pelas avenidas cinzas da cidade. Percebo cores no asfalto. Poesias nos bêbados e mendigos do sinal. Busco balés nos passos cabisbaixos do que vão e vem. Música me acompanha. Cantarolando baixinho mantras de boa sorte. Amanheci assim. Não sei se entardeço do mesmo modo. Até lá, sigo cantando...

8 de dez de 2010

Sobre Aniversários e Reveillons

Já repararam como reveillon e aniversários são datas irmãs? As duas envolvem bebidas e momento de renovação. É batata, vai chegando perto de uma dessas datas e começamos a repensar hábitos e prometer mudanças. A tal da dieta, emprego novo, amores novos, vida nova, em suma, resolvemos achar que ontem é uma merda e o futuro, uma folha em branco, prestes a ser preenchida. Poético, mas nada funcional.

Não dá para levar a sério nada do que a gente pense ou prometa nessas datas, tem que levar em conta o emocional, que nessa ocasião, está totalmente descontrolado. Saca TPM? Pois é, é como se estivéssemos com ela, todo o mês que antecedesse o aniversário e a passagem de ano. E não dá para esquecer o fator álcool. Afinal, dependendo do seu grau de socialização, você começa a comemorar o aniversário/reveillon no primeiro dia do mês anterior.

Mas, essas datas não tem só o fator “Hoje eu vou mudar, vasculhar minhas gavetas...” (By Vanusa), em comum, elas também trazem inserido o fator mico. A única vantagem do reveillon, é que pelo menos o mico é coletivo. Pular sete ondas, comer sete uvas e guardar as sementes (não confundir com azeitonas, como o caso de um amigo, que confundiu a supertição e foi parar no hospital, engasgado! Quando o médico terminou a contagem, a esposa estourou a champagne, o problema é que não era os segundos que o doutor contou, mas a quantidade de azeitonas com as quais o cidadão estava entalado!)

Alias, nesse quesito mico, acho que aniversários são os verdadeiros campeões, pensa bem, você junta um monte de gente, em torno de um bolo, que sua dieta, não lhe permite comer, para oficializar que você está ficando cada vez mais velho! É ou não é nonsense? E tem àquelas pessoas que acham divertido te tacar farinha, ovo... juntando açúcar e leite, pelo menos economiza no bolo.

E, é claro, tem as festas surpresas. O que ninguém entende é que, se você não organizou uma festa, significa, que você não quer uma festa. Para algumas pessoas, é inadmissível que você não queira comemorar aniversário. Essas são os Organizadores. Pessoas comuns que nessas datas surtam e começam a agir como máquinas festivas.

O mais interessante das festas surpresas, é que parentes e amigos fingem te ignorar o dia inteiro, para de repente, pularem na sua frente e desejarem tudo de bom. Vê que ridículo, o cara te fez sentir um nada o dia inteiro, para subitamente te abraçar e começar a dizer: “Você é meu amigo de fé, meu irmão camarada...” (by Roberto e Erasmo Carlos) como já disse, nonsense total...

E tem pior, o cidadão que é esquecido na sua festa surpresa. Os organizadores se preocupam tanto em convidar todos os amigos e parentes do aniversariante, que esquecem de avisar o mesmo.

O cidadão ta lá, vidro de calmante na mão, mamado do uiskie, acabando de cometer o ato derradeiro, depois de um dia terrível, onde as pessoas mais importantes o ignoraram completamente, eis que toca o telefone:
- Fulano, cadê você?
- Eu... estou morrendo
- Morrendo cara? Num podi! A festa ta bombando. Ta todo mundo aqui.
- Festa? – suspira o fulano, a voz embargada de álcool e barbitúricos. – que festa?
- Como que festa? – se admira o Ciclano – a sua festa surpresa!
- Vocês fizeram uma festa para mim? – é a última coisa que ele fala, antes de tombar sobre o telefone.
O Ciclano, percebendo o silêncio do outro lado da linha. Grita para um dos organizadores:
- Ai, pode cortar o bolo, que acho que o Fulano não vem não!

6 de dez de 2010

1ª Resolução para 2011

E de repente 2011 já é uma realidade. Primeiro o suspiro de finalmente 2010 se vai, depois uma certa esperança de que 2011 seja diferente (pra melhor, é claro!) e finalmente, um certo temor, afinal, para 2012 falta um pulo, né não?!

Nunca fui muito chegada a resoluções de final de ano. Mas, é meio que inevitável que a gente acabe sendo empurrada para pensar no que gostaria de ser diferente e, principalmente, o que queríamos mudar no ano que se inicia. 

Inevitável também é a gente olhar para trás e pensar em tudo que fomos e como agimos no ano que se vai. E, quer saber, não me reconheço olhando para trás. Nem fisicamente, nem mentalmente. As tormentas de 2010 levaram mais que bens pessoais, sinto que endureci mais do que gostaria, fechei-me mais do que já era fechada, isolei-me mais do que costumava me isolar e sei lá, parece que desaprendi a sorrir...

Logo eu que sempre fui mais afeita a sorrisos do que lágrimas. Conversando com uma amiga ontem, de repente me percebi tão velha. Tão distante daquela que sempre fui. E, foi ali com minha amiga que veio o insight: Em 2011 eu quero ser menos livro de auto-ajuda e muito, mais muito mais, o botão do phoda-C.

2 de dez de 2010

É Preciso Ter Tempo

É preciso tempo. Tempo para pensar, tempo para fazer, pelo menos a metade do que é preciso. Tempo para ser mãe, esposa, dona de casa, artesã, escritora, boa vizinha, internauta, fazendeira e mais tantas coisas que gostaria de ser. Tempo para viver. Tempo para descansar. Tempo para sonhar, tempo para brigar, tempo para arrumar, caixas, passados, casas, tudo e ao mesmo tempo, nada.

Tempo para ficar deitado na grama, olhar fixo nas nuvens, vendo desenhos e formas. Tempo para olhar a chuva que escorre no vidro da janela. Tempo para admirar a paisagem enquadrada na janela da condução.

Tempo para sentir. Tempo para permitir. Se permitir. Tempo para rolar no tapete e pular numa perna só ao som do ritmo infantil. Tempo para dançar com o filho. Tempo para beijar. Beijos ardentes ou selinhos inocentes, mas é preciso ter tempo!

Tempo para criar. Escritas, artes, modelos e cores. Tempo para inventar. Jogos, fantasias, histórias, pratos e costuras. Tempo para abraçar. Tempo para tocar. Rosto, cabelos, mãos, corpos.

Tempo para se desnudar. Preconceitos, roupas, baixa-estima. Alma. Tempo para não precisar de nada. E ansiar por tudo. Tempo para falar. Palavras, silêncios, olhares.

Tempo para agradecer. Aos amigos, aos parentes. Aos que chegam, aos que partem. Aos que de te desejam boas manhãs e aos que não te desejam nada. Tempo para sorrisos. Tempo para as lágrimas.

É preciso ter tempo. E essa, é a arte que ainda não aprendi ter.