24 de ago de 2008

Justiça Animal

Não acredito em leis.
Regras são rídiculas e absurdas.
Falar em leis, em um lugar sem justiça,
é uma ironia que não me permito usar.

As raposas e as galinhas não convivem,
harmonicamente,
nem com um porco para intermediar.

21 de ago de 2008

Dosagem Homeopática:

- Hoje eu sonhei com rosas.
- Sabe que detesto rosas.
- E daí? O sonho era meu.
- Verdade, ou isso de sonho era só indireta para ganhar flores?
- Acho que você é um escroto!
- Mas, ainda me ama, não ama?
- ...

-------------------#----------------------

Falta de vontade, falta de juízo, falta de costumes, falta de afeto, falta de amores, falta de tesão, falta de sexo, falta de conversas, falta de cumplicidade...
No final, tudo se resume a ausências.

---------------------#-------------------------------

E a palavra ainda está lá. Presa. Tensa. Tênue. E eu queria fazer poesia, mas acabo envolta em malabarismos fonéticos.

20 de ago de 2008

A Descoberta

- Eu já sei de tudo. – ele afirma, olhando fixo para a esposa. Que quase engasga com o cafezinho.
- Sabe de tudo, o quê, Homem de Deus!?
- Não adianta ficar ai disfarçando. Eu sei que vocês estão juntos! – enquanto fala, caminha nervosamente até o outro lado da sala, aonde pega um pesado vaso de cerâmica.
- Claudionor, larga essa vaso! E me explica o que está acontecendo. – Por via das dúvidas, ela resolve se levantar e tentar chegar perto do telefone, por que fora esquecer o celular no quarto?
- Eu, junto, com quem?
- Você sabe bem do que tou falando! Você e todos os outros estão mancomunados!
- Eles? Amorzinho, você quer uma maracujina? Um chá de camomila? Olha, eu faço rapidinho!
- Vocês se achavam muito espertos, mas ontem... ontem eu descobri tudo!

A esposa nessa hora, já não tem mais dúvida, era caso de internação. O pior é que de maluco não aliviam dívidas, e eles estavam bem encrencados financeiramente. Ela desempregada, ai, ai...

- Claudionor, meu amor, você está muito nervoso, é alguma coisa na empresa?

Ele agora examina o vaso meticulosamente, de repente, brande o vaso no ar, apontando para a esposa, que se encolhe perto da porta.

- Aqui está a câmera! Pelo menos uma delas, eu sabia! Era por isso que você não queria que eu me desfizesse do vaso, não era?
- Clau, esse vaso foi a tia Adelaide que deu, sabe que ela sempre pergunta por ele, quando vem aqui. PelamordeDeus não me quebra isso, senão aquela velha vai me encher o saco!
- Tia Adelaide! tia Adelaide é o escambau! Eu sei bem que isso é coisa da emissora!
- Emissora, Claudionor? – não restava a menor dúvida, era caso de internação.

A esposa choraminga, pensando em como explicar pros filhos a loucura do pai... Ele não poderia ter morrido, no lugar de enlouquecer? Ser viúva de marido vivo é pior do que ter enterrado um!

- Agora eu sei que nada disso é real, Que eu sou um personagem de ficção, de um seriado qualquer...

Larga o vaso sobre a mesa, e cambaleia até o sofá, onde desaba.

- Todas as coisas que aconteceram... Tudo obra da cabeça de um roteiristazinho qualquer de uma série cômica, Lindalva! – Gesticula nervoso – se fosse pelo menos uma série dramática! Um documentário... Melhor seria que fosse um filme, super-produção hollywoodiana, mas não! Tinha que ser de uma série cômica, e ainda por cima, nacional!
- Olha só, algumas séries cômicas nacionais são boas... – ela começa, mas é interrompida pelo choro agudo do marido.
- Eu devia ter desconfiado, devia... Ninguém ganha um microondas cheio de baratas francesinhas de presente de casamento! Você lembra disso?!
- E como eu iria esquecer?! Foram necessárias três detetizações para aquelas malditas sumirem daqui de casa! Mas, o que isso tem a ver?
- Teve também aquele dia que perdi o cartão no banco?! Eu tinha ido buscar o cartão e a gerente perdeu ele na hora em que ia me entregar! Nãaaao, isso não é coisa de realidade, nada! É coisa de seriado... e eu vou lhe falar uma coisa, Lindalva, coisa de seriado ruim!
- Mas... mas
- E o assalto?! Como você explica o assalto!
- Muita gente é assaltada...
- Por travestis?! Lindalva, você já leu em algum jornal sobre uma gang de travecos que assaltam transeuntes?
- Na verdade, não né?
- Eu tô lhe falando mulher! É tudo ficção! E você? Não adianta ficar ai, com essa cara! Eu sei bem que você faz parte do esquema! Sua... sua... sua atriz! Foram tantos os sinais, e eu burro, não via... Que mulher que chora por que queimou um assado? Fala a verdade, agora mulher, você fingia, não é? Todas as vezes, Linda? Nesses anos todos de casamento, teve alguma vez que você não fingiu?
- Claudionor, pelamodedeus, eu vou lhe pedir, para parar, se for alguma brincadeira. Você está me assustando!
- E nossos filhos?! – ele levanta bruscamente, caminhando até a estante, onde pega uma foto onde estão os três filhos! - Todos eles são atores?! Nenhum deles é meu filho de verdade? ! O Junim não! O Junim tem que ser meu filho! Ele é igualzinho ao meu pai. – ele cai no chão de joelhos, as mãos melodramaticamente erguidas, em súplica, em direção a esposa – meus pais?! Eles... eles também são atores? A empresa! Adalberto, meu chefe! Dona Josefa, da faxina... tudo uma farsa....
- A gente já ganhou um prêmio...
- Heim?! – ele para de chorar e a olha. Lindalva sai de perto da parede, senta na poltrona.
- Pode pegar um cigarro para mim? Terceira gaveta a esquerda.
- Você fuma?
- Só nos intervalos das gravações.
- Então... então?! – Claudionor abre a gaveta e é visível o susto ao se deparar com o maço. Meio em transe, entrega para a esposa, que pega um cigarro, acende e numa cruzada de pernas, continua:
- É, você descobriu tudo. Você é um personagem de ficção, eu sou atriz, todos ao seu redor são atores, até o Junim...
- Até o Junim?! Quem diria...
- Pois é, mas a série é boa, já ganhou prêmios, como eu ia dizendo...
- Prêmios? Mais de um?
- Quatro, para ser mais especifica. Direção, Roteiro adaptado, melhor ator e melhor atriz coadjuvante. Foi o único prêmio que ganhei até hoje, mas já fui indicada várias vezes.
- Melhor ator? Eu ganhei um prêmio?!
- É, foi por aquele episódio do médico... Que você tentou matar o cara!

Claudionor senta no braço da poltrona, pega um cigarro do maço, acende, dá uma tragada e uma tossida, sacode a cabeça... Não sabe como alguém pode gostar daquilo, mas naquele momento, parece ser o que precisa.

- É, realmente merecia um prêmio... Fiquei mais de doze horas na fila do hospital público, e o filadaputa do médico, sem me examinar, me mandou para casa, dizendo que não era caso de emergência...
- Você tava com o dedão do pé quebrado, não era?
- Tava. Quebrei, quando a privada caiu em cima do meu pé. Eu tava tentando desentupir, tive que tirar o vaso do lugar e foi merda pra tudo quanto era lado, eu escorreguei e privada caiu em cima do meu pé...

A mulher suspira, enquanto apaga o cigarro.

- Grande episódio, grande episódio... Um dos melhores...

14 de ago de 2008

Tristezas

Então ela volta. Com força. Dias, quase meses ausente, e ela retorna, indomável. Como sempre atrevida, sentindo-se dona da casa, tomando posse de mim...

Ao redor, tudo igual. Casa, filhos, marido, por dentro, ausências. E uma solidão, grande, engolfante, necessidade de uma voz amiga dizendo que tudo vai ficar bem.

Mas nesses anos anteriores, e isso ela percebeu agora, foi se disfarçando em forte que deixou para trás, uma a uma, pessoas que hoje poderiam dar-lhe a mão.

Aprendeu a se transformar em silêncios, e hoje o preço da escolha são lágrimas que disfarça em meio a um riso triste.

No mais, é esperar que ela vá embora ou ao menos, que se aquiete dentro dela.

12 de ago de 2008

Corra, Patricia, Corra...


Sumi! Motivos mils, filho começando na escola, encomendas loucas com prazos curtissímos... enfim, o velho motivo de sempre, muito trabalho, pouco dinheiro e o dia precisando ter 36 horas para conseguir fazer metade do que se deve fazer.

Nesse tempo ausente, uia que noticia legal: meu blog, ainda engatinhando, ganhou um prêmio. O Prêmio Dardo, indicado pela querida Batata Transgênica. Fiquei toda prosa, afinal, ser indicada por um blog que já tem tantos anos de estrada e a capacidade de se renovar a cada dia, né pra qualquer um não!

Fui ali fazer uma pesquisa rápida sobre o prêmio, histórico do bicho e etc, e descubro que é um Prêmio internacional. Pena não ter conseguido saber sobre a história dele, então lanço um desafio, qual é a origem do "Prêmio Dardo" - descobriu, me escreve, please.

Como o recebedor do prêmio deve seguir algumas regras, cumprirei-as todas.

Primeiro a descrição do prêmio: "Com o Prêmio Dardos se reconhecem os valores que cada blogueiro mostra cada dia em seu empenho por transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc…, que em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras.”

Aqui estão as regrinhas do prêmio:
1 – Aceitar e exibir a imagem,
2 – Linkar o blog do qual recebeu o prêmio e
3 – Escolher 15 blogs para entregar o Prêmio Dardos.

E ai, começa a parte mais dificil, como escolher 15 blogs?! É só olhar a minha lista ali do lado e ver que meu favoritos são beeeeem mais que 15. Então optei por um critério mais afetivo, a maioria dos blogs indicados são os que conheço ainda do meu antigo blog; outros pela acolhida que tive ao retornar a blogosfera. Mas, para não haver dúvidas, conheçam os indicados e depois não deixem de dar uma passada nos outros que estão linkados por aqui, vocês não irão se arrepender, é tudo blog do bão!


1 - Between Us
2- ¡Drops da Fal!
3 - Garotas Que Dizem Ni
4 - Dedo de Moça
5 - Dia de Folga
6 - Mulé é um bicho burro mermo!
7 - Pensar Enlouquece, Pense Nisso.
8 - Copy & Paste
9 - Mafalda Crescida
10 - Batatada Patética
11 - Escrita Ruprestre
12 - Uia!
13 - Uh, baby!!!
14 - Quer ler? Eu deixo
15 - Autor Desonhecido

***********************

Adoro quando acontecem coisas boas em seguida, além do meu blog ser premiado, soube que a Fal está com lançamento marcado pela editora Rocco - Minúsculos assassinatos e alguns copos de leite.

Só quem conhece a Fal sabe como ela ralou para conseguir isso. Uma escritora que fala com a alma da gente. Saca, amiga de infância, que a gente conta tudo e ouve tudo, é assim a literatura dela. Eu já li dois dos seus livros - Crônicas de Quase Amor e O Nome da Cousa - li não, vivi, porque a gente vive a literatura da Fal. Chora, ri, se apaixona e jura de pés juntos, que ela escreveu sobre a gente.

Parabéns Fal e que esse seja o terceiro de muitos e muitos livros. Quero um dia ter a honra de olhar a minha estante e dizer: tá vendo aqui? Conversei muito com essa escritora no msn e no blog.

2 de ago de 2008

10 Segredos para a Elevação do seu Saldo Bancário:

1) Montar um grupo de pagode - Não precisa saber cantar, nem tocar nenhum instrumento. Quanto a dança, basta sacudir o corpo prá frente e prá trás e dar umas reboladinhas de vez em quando. A letra da música tem sempre que ter um corno, ou uma corna, ou falar da feijoada na casa da tereza. A sim, e não esquecer a gemidinha no refrão.

2) Montar um grupo de axe músic - seguem-se as mesmas regras do grupo de pagode, mas acrescentam-se uma coreografia aprendida em boites de stripers e pelo menos, duas mulheres gostosas semi-nuas.

3) Escrever um livro de auto-ajuda - recolha e transcreva todos os chavões espalhados por ai, tipo: o que não nos derrota, nos deixa mais forte, ou a força está dentro da gente, ou ainda, olhe-se todo o dia no espelho e grite bem alto: eu sou bonito(a), rico(a) e inteligente. Intercale isso com suas experiências pessoais ou metáforas com animais, alguma filosofia oriental e pronto. Agora é só publicar e colher os louros da fama.

4) Botar a bunda de fora no teatro municipal, ou tirar a roupa em qualquer evento público. ( - Não! não vale naquele jantar de família, nele o máximo que você vai conseguir é ficar sendo perseguida(o) por aquele seu primo tarado.) Sabendo administrar essa nudez, logo logo, você ficará rico(a).

5) Jogador de futebol - é preciso se esforçar um pouco, o suficiente até seu passe ser vendido para um time europeu. Depois é só simular uma dor no joelho qualquer e fazer um mísero gol por ano. Mas, não pode deixar de manter a pose de grande craque.

6) Politico - mas não pode ser um político qualquer, tem que ser corrupto, mas como político honesto não existe, basta ser político e pronto. (Você acredita em político? então também deve acreditar em coelhinho da pascoa e papai noel, seu caso é grave meu filho).

7) Cantor de funk - esse também se encaixa nas regras pagode e axé music, mas com algumas ressalvas, as músicas não devem falar coisa com coisa, devem ter conotação sexual e o português deve ser devidamente assassinado. Ex: "a mina tem um popozão, balanssa a cabessa, balanssa a bundinha e vem sentá no minhocão. "

8) Escritor de novela - esse é bem simples, nem precisa de muita criatividade. A fórmula básica é: mocinho encontra mocinha e a(o) vilã(ão) se interpõe entre os dois, junte-se a isso uma criança orfã e outra precoce, se for orfã e precoce então é excelente, uns dois ou mais personagens sem fala, mas semi-nus em todos os capítulos e algum tema polêmico: homossexualismo, câncer, doação de orgãos, etc. Para efeitos de dramaturgia, você pode misturar tudo e colocar um homossexual que doou órgãos e agora está com câncer, ou vice-versa, se acrescentar alcoolismo então, fica perfeito.

09) Vidente - aqui é preciso um investimento inicial: uma roupa extravagante, meio hippie, meio baú de sua avó(ô) e um adereço para incrementar o visual, pode ser cartas de tarot, ou uma bola de cristal (aquele lustre transparente que tem em casa, já serve). Essa profissão é boa porque você só trabalha no final do ano. Requer também um pouco de interpretação, pois a chave do sucesso são as caras e bocas feitas antes da previsão, (faz uma cara de quem está com dor de barriga e tá tudo bem), aí só dizer que uma grande tragédia irá acontecer no Oriente Médio, que um ator vai morrer, ou ficar doente, ou se separar. Que o Brasil irá passar por uma crise econômica, etc. A regra é nunca ser muito específico e intercalar tudo com frases de duplo sentido.

10) Líder de uma seita religiosa - Essa é a mais simples de toda. Coloque um lençol branco por cima da roupa, faça uma cara de piedade e fale coisas sobre harmonia universal e bem superior. Prometa paraisos terrestres e vida saudável e feliz. Tudo isso claro sob sua plena orientação, deixe bem claro, que para ser feliz é preciso não ter apegos a bens materiais, por isso reforce que aceita doações, em dinheiro, cheque, objetos de arte, jóias ou cartão. Você verá como rapidamente seu saldo bancãrio ascenderá ao reino dos céus.