27 de jun de 2008

Separações

Penso nas coisas a serem ditas e no entanto, meus olhos ainda fitam as unhas descascadas que tamborilo sobre a mesa.
Gostaria do silêncio agora, mas sei que ao se interpor sobre a gente, vai selar o que apenas se insinua em sua face; Por isso falo. Amenidades, a chuva que chega, o frio que se vai, a comida, a bebida... me arrasto em tediosas palavras, quase melódicas.
No fundo, brinco de mágico e hipnoticamente afasto o adeus que teus lábios hesitam em soar.

26 de jun de 2008

Sem Manual

Engraçado, quando comecei a pensar em voltar com um blog, achei que seria fácil. Mentalmente, imaginei nem sei quantos textos de "boas-vindas". Mas, quer saber? Nada é tão fácil quanto pensei, sinto-me tímida. É muito estranho. Talvez essa sensação se dê, por que esse blog não é uma continuação da Criatura e a Moça.

Quando decidi voltar, quis vir de cara limpa, sem pseudônimos, logo, muito do que pintar por aqui realmente é parte da minha vida, outros nem tanto. Mas, assim também é nossa vida. De vez em quando, um pouco de irrealidade é fundamental.

Não é o post de abertura que tinha imaginado, na verdade, não é nem um décimo do que queria, sinto como se as palavras estivessem enferrujadas dentro de mim, vai necessitar de um certo tempo para tudo se azeitar, mas no fim tudo se acerta, essa é a mais importante das lições que aprendi nesses anos de ausência "blogistica" - no final, tudo se acerta.